!
Nosso site está em sua versão beta, em poucos dias poderá usufruir dele 100% completo! Fique Ligado!!!

23. VIGÉSIMO TERCEIRO CAPITULO

ÚLTIMOS CAPÍTULOS


SOBRE O CAPÍTULO

Yuri dá um ultimato a Emilis. Horácio enfrenta as ameaças de Kadu. Ulisses se afoga na cachoeira. Na noite de seu primeiro desfile, Hilda tem uma grande surpresa.

MEGAPRO                                                                    2018

 

 

REIS DA ARENA

 

CAPÍTULO 23

WEB NOVELA DE: Lucas Oliveira

ESCRITA POR: Lucas Oliveira

 

 

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO:

 HILDA
KADU
JOSEFA
EMILIS
HORÁCIO
BARTOLO
DARCY
LETÍCIA
ZANDER
LALÁ
PIETRO
IGOR
GEORGE
YURI
RAFAELA
DJAVAN
VERIDIANA
ULISSES
ZETINHA

 

Participação:

FISIOTERAPEUTA

 

CENA 01. LONDRES. QUARTO DE HOTEL. INT. DIA.

Continuação imediata do capítulo anterior. Kadu sentado na cama. Josefa adentra o local com trajes de banho.

JOSEFA: É inadmissível uma coisa dessas!

KADU: O que foi, mãe?

JOSEFA: Eu tava pedindo alguns drinks na piscina... Na verdade vários. Mas, enfim... O idiota veio me dizer que o cartão não cobria. Eu mandei ele passar novamente, mas ele não quis. Disse que o aparelho deles não erram nunca.

KADU: E é isso mesmo, mamãe. O nosso dinheiro tá acabando!

JOSEFA: Como assim? O Horácio não depositou mais nada?

KADU: Já tem um tempo que ele não deposita. Aquele velho tá brincando com fogo.

JOSEFA: E agora?

KADU: Vamos ter que voltar pro Brasil, mãe. Não vai ter outro jeito!

JOSEFA: Voltar pro Brasil?

KADU: É. Ou isso ou a gente vai começar a padecer aqui.

JOSEFA: (Lamentando-se) Ah... E eu que pensava que nunca mais fosse colocar os pés em Touro Bravo outra vez.

KADU: Quem falou em Touro Bravo, Dona Josefa?! A gente vai pro Brasil, mas nada de Touro Bravo. Deixa a cidade e a nossa casa lá, quieta. Que é nosso único bem e nossa única garantia.

JOSEFA: E a gente vai pra onde, Kadu?

KADU: Pra outra cidade. Não precisamos avisar pro Horácio onde estamos, mas só em tá perto já vai ser o suficiente. Temos que aproveitar enquanto ainda temos algum dinheiro. Ele precisa temer, ficar com medo. Senão, ele não vai ceder, mãe. Vai dar tudo certo! Deixa comigo!

Em Kadu, visivelmente compenetrado. CORTA PARA/

 

CENA 02. TOURO BRAVO. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: Viver Minas – Banda Isoldina.

Planos gerais. ANOITECE. CORTA PARA/

 

CENA 03. CASA DE PIETRO. QUARTO DO CASAL. INT. NOITE.

Pietro deitado na cama com o celular em mãos visivelmente entretido. Lalá adentra o local.

LALÁ: Acabei de tomar um banho agora. A água tava deliciosa!

PIETRO: Hum. Aí sim. Meu amor cheirosinha.

LALÁ: HAHA! Eu sempre sou cheirosa, meu querido!

Lalá deita-se na cama.

LALÁ: O que é isso que cê tá assistindo aí, amor?

PIETRO: Tô só vendo umas cenas aqui do filme pornô que tem a tal Tetê Rameira. Olha só isso aqui.

Pietro mostra o celular a Lalá. Ela empurra.

LALÁ: Ai, me poupe, Pietro! Quero ver isso, não!

Pietro dá risada.

LALÁ: Daqui a pouco vai querer ir pra algum bordel pra fazer coisas que ela tá fazendo aí.

PIETRO: Pelo amor de Deus, amor! Cê acha que eu vou trocar minha manteiguinha linda que amo tanto por mulher que já passou pela mão de vários? Que eu vou trocar minha Lalázinha por puta? Claro que não, né?!

LALÁ: É. Mas... Mas...

PIETRO: (Sorri) Minha ciumentinha linda. Olha só, fica toda vermelhinha. É muito fofa, meu Deus!

LALÁ: (Leve sorriso) Bobo!

Pietro coloca o celular sobre o criado-mudo.

PIETRO: Cê sabe que eu gosto de mulher assim, desse jeitinho seu. E quando eu achava que nem existia mais menina assim, aparece seu perfil lá no Badoo e muda a minha vida.

Lalá sorri visivelmente comovida.

PIETRO: Tinha até uma assim na época de colégio. O nome dela era Ana Beatriz. Uma fofura que só. Mas tem tanto tempo... Nem tenho o contato.

LALÁ: Ah é, né, safado?!

Lalá dá um leve tapa em Pietro.

LALÁ: Quem é essa tal de Ana Bia aí, hein?

PIETRO: Relaxa, amor! É da época de colégio. Ela era toda frágil, toda delicada também. Mas já era toda adoentada, coitada. Não sei nem se tá viva ainda.

LALÁ: Humm... Sei. Cê faz de propósito. Adora me fazer ciúmes, né?!

SONOPLASTIA: Um anjo veio me falar – Rouge.

PIETRO: Mas quem é que eu amo, hein?! Vem cá, vem, minha bobinha!

Pietro agarra Lalá.

PIETRO: Cê sabe que eu te amo muito, né?

LALÁ: Eu também te amo, meu amor. Demais!

PIETRO: Minha princesinha linda!

Os dois se beijam apaixonadamente. CORTA PARA/  

 

CENA 04. CASA DE EMILIS. QUARTO DE EMILIS. INT. NOITE.

SONOPLASTIA OFF.  Emilis em frente a Yuri apenas de lingerie.

EMILIS: Então, não vai começar, Yuri?

YURI: (Visivelmente desconcertado) É que... A madame aí com esses trajes...

EMILIS: (Se faz de desentendida) O que tem os meus trajes?

YURI: Madame, por favor!

Emilis aproxima-se de Yuri e começa a toca-lo.

EMILIS: (Ofegante) Eu sei que você quer, Yuri. E eu também te quero! Tudo que já aconteceu entre a gente ficou na minha cabeça e eu não consegui esquecer.

Yuri empurra Emilis.

YURI: (Firme) Mas eu, sim!

EMILIS: Não. Eu duvido. É impossível!

YURI: Se tem uma coisa que eu preservo, madame, é o meu orgulho. E eu não vou deixar de prezar por ele em hipótese alguma. Mesmo que eu goste de você, pra mim essa situação não tem condições!

EMILIS: Mas e a nossa química, a nossa atração. Mas que isso, eu acho até que... que a gente tá gostando um do outro, Yuri.

YURI: Mas eu não sou homem de fazer nada camuflado. É o seguinte: Não fico mais com você se cê continuar com vergonha de mim, me querendo só pra cama. Eu sou mais que isso, madame. Você quem escolhe!

Em Emilis, visivelmente perdida. CORTA PARA/

 

CENA 05. CASA DE BARTOLO E DARCY. QUARTO DO CASAL. INT. NOITE.

Bartolo deitado. Darcy e Horácio em pés.

DARCY: E o fisioterapeuta já começou os exercícios e o Bartolo tá se saindo muito bem, Horácio.

HORÁCIO: Que notícia maravilhosa! Muito bem, meu amigo. Muito bem! Sempre torci muito por sua recuperação e agora não tenho a menor dúvida sobre ela.

BARTOLO: Muito obrigado! Pensamento positivo nunca é demais. Quanto mais, melhor!

DARCY: Ele tava um pouco desanimado no começo, mas agora tá melhor.

HORÁCIO: E é isso aí!

BARTOLO: Mas me conta aí as novidades. Como é que tá a Hilda lá no Rio?

HORÁCIO: Ela sempre manda mensagem e pelo visto tá ótima! O Djavan tá cuidando muito bem dela e ela tá prestes a fazer a estreia nas passarelas.

BARTOLO: Ela merece!

DARCY: Com certeza vai fazer muito sucesso!

HORÁCIO: O filho da Zetinha voltou! Passou lá em casa hoje e se acertou com a mãe.

BARTOLO: É mesmo? Nossa! A Zetinha não deve tá se aguentando de tanta felicidade.

HORÁCIO: Ah, ela tá radiante.

DARCY: Cês me dão licença, eu vou ver se o jantar tá pronto. Janta com a gente, Horácio?

HORÁCIO: Não, Darcy. Obrigado! Minha visita é rápida mesmo. Já estou indo embora.

DARCY: Com licença!

Darcy sai do local. Horácio senta-se na cama.

BARTOLO: (Baixo) E aquele seu esquema com o Kadu? Cê ainda tá mandando dinheiro pra ele e pra Josefa?

HORÁCIO: Não! Eu nunca mais mandei nada. Ela não para de me mandar mensagens, mas eu ignoro todas.

BARTOLO: Mas e se ele resolver botar a boca no trombone?

HORÁCIO: Que bote! E sinceramente... Eu pensei muito e tô pensando seriamente em me entregar pra poder recomeçar minha vida. E dessa vez, as limpas!

BARTOLO: Eu sei que não seria fácil, mas tem todo meu apoio. Como sempre, estamos juntos, meu amigo!

Horácio e Bartolo apertam as mãos. CORTA PARA/

 

CENA 06. CASA DE EMILIS. QUARTO DE EMILIS. INT. NOITE.

Emilis e Yuri frente a frente.

YURI: E aí, madame, já tem sua decisão?

EMILIS: Yuri, eu preciso pensar.

YURI: É porque eu sou pedreiro, pobre. Ia ser vergonhoso demais pra madame Emilis Assis circular com um tipo desses, num é?

EMILIS: Não se trata disso. Isso também é difícil pra mim, mas não é a questão principal.

YURI: E qual é a questão principal, madame?

EMILIS: Eu terminei um casamento de anos há pouco tempo. Tenho medo de entrar novamente numa relação. Eu preciso pensar primeiro. Colocar tudo no seu devido lugar aqui dentro, na minha mente. Não dar pra dizer, afirmar nada agora!

YURI: Tudo bem. Quando você tiver a resposta, me procura. Enquanto isso... Nada! (T) Eu vou indo!

EMILIS: Mas e a rachadura na parede?

YURI: (Leve sorriso) Não vou perder meu tempo com uma palhaçada dessas. Até um risco de lápis aí, seria maior que isso. Até mais, madame! Boa noite!

Yuri sai do local e fecha a porta. Emilis se olha no espelho e passa a mão por toda a sua lingerie. Ela se joga na cama e se cobre com o cobertor. Nela, pensativa. CORTA PARA/

 

CENA 07. TOURO BRAVO. EXT. NOITE.

SONOPLASTIA: Simplicidade – Pato Fu.

Planos gerais. AMANHECE. CORTA PARA/

 

CENA 08. CASA DE LETÍCIA. SALA. INT. DIA.

Letícia arrumando a bolsa. George vem de dentro com uma mochila nas costas.

GEORGE: Bom dia, tia!

LETÍCIA: Bom dia, meu sobrinho! E aí, dormiu bem?

GEORGE: Dormi sim.

LETÍCIA: Eu tô indo pra filial nestante. Vai comer, vai! O café da manhã já tá na mesa!

GEORGE: Eu já peguei uma maçã. Quero aproveitar o sol cedo antes que fique prejudicial.

LETÍCIA: Cê vai pra onde?

GEORGE: Vou conhecer a cidade. Quero ver a tal cachoeira.  Tô curiosíssimo!

LETÍCIA: Cê me desculpa não poder te acompanhar, Geo. Eu tenho que ir pra loja e hoje o Zander também vai comigo.

GEORGE: Se preocupa não, tia. A cidade é pequena. Me perder, eu não me perco!

LETÍCIA: Ah, isso com certeza!

Os dois riem.

GEORGE: Tchau, tia!

LETÍCIA: Tchau! Bom passeio!

George sai. Em Letícia sorridente. CORTA PARA/

 

CENA 09. QUARTO DE HOTEL. INT. DIA.

Igor e Rafaela deitados na cama, abraçados.

RAFAELA: Sabe, eu tô até gostando da cidade.

IGOR: Sério, Rafa?

RAFAELA: É. Ela é mais calma, mais serena, mais tranquila. E apesar dos pesares, eu gostei da sua mãe também. Acho que você deveria ter ligado pra ela, falado com ela antes.

IGOR: Isso já passou e já foi resolvido. Quero pensar agora é pra frente, no agora!

Rafaela senta-se na cama.

RAFAELA: Hummm. E eu posso saber quais são seus planos?

IGOR: Primeiro a gente tem que arranjar um cantinho pra gente morar. Não tem condições ficar em hotel o tempo todo, né?!

RAFAELA: Ah, isso eu concordo plenamente!

IGOR: Eu vou providenciar!

RAFAELA: E além disso, temos que investir nosso dinheiro também. Porque se acabar...

IGOR: Eu sei, minha gostosa!

Igor puxa Rafaela e deita sobre ela.

IGOR: Sabe o que eu tô querendo agora?

RAFAELA: É aquilo que eu tô pensando?

IGOR: (RI) Exatamente!

Igor e Rafaela começam a se beijar intensamente. CORTA PARA/

 

CENA 10. CACHOEIRA. EXT. DIA.

Ulisses sentado com os pés na água, visivelmente pensativo. Ele se levanta e escorrega. Ulisses cai na água, tenta nadar, mas a correnteza o puxa. Tensão, desespero. George aparece no ambiente.

GEORGE: (Notando-o) Meu Deus! O que é aquilo ali?! Caraca! Tem alguém se afogando!

George retira sua mochila das costas, joga no chão e corre em disparado. Ele pula na água. CORTA PARA/

 

CENA 11. FILIAL EQUIPE A EQUIPE. INT. DIA.

Pietro atrás do balcão. Letícia e Zander adentram o local.

PIETRO: Bom dia, Letícia!

LETÍCIA: Bom dia, Pietro! Trouxe o Zander, meu namorado, pra trabalhar aqui.

PIETRO: Ele vai trabalhar aqui na loja?

LETÍCIA: Isso! E o meu sobrinho, George, que chegou do Rio de Janeiro, também irá!

ZANDER: E pode ficar tranquilo que minha intenção é ajudar. Não quero atrapalhar nada.

LETÍCIA: Explique tudo pro Zander. O oriente em tudo o que ele tiver dúvida, tá, Pietro?

PIETRO: Pode deixar!

Todos se entreolham, sorridentes. CORTA PARA/

 

CENA 12. CACHOEIRA. EXT. DIA.

George coloca Ulisses no chão e faz respiração boca a boca nele. Ulisses acorda, começa a tossir. Os dois se entreolham fixamente.

ULISSES: (Confuso) Quem é você?

GEORGE: George. E você?

ULISSES: Ulisses.

Ulisses se levanta.

ULISSES: Eu tenho que ir embora.

George o intercepta.

GEORGE: Espera! Cê acabou de se afogar, engoliu água. Fica mais um pouco, respira, descansa.

ULISSES: (Leve sorriso) É que... Nossa! Foi tudo tão rápido. Quando eu dei por mim, já tava me afogando. Eu tentei nadar, mas...

GEORGE: Eu cheguei bem na hora e vi tudo. Aí eu não pensei duas vezes e pulei na água.

ULISSES: Muito obrigado! Se não fosse você, eu nem sei.

GEORGE: Magina! Eu fiz o que qualquer um faria no meu lugar.

ULISSES: Cê é daqui da cidade?

GEORGE: Não! Quer dizer, minha tia mora aqui. É a Letícia Vidreira. Ela comanda uma filial junto com o sócio.

ULISSES: Cê é sobrinho da Letícia?! Nossa! Eu sei quem é.

GEORGE: Pois então.

Ulisses e George sorriem um para um outro. Surge um clima.

GEORGE: Vou te passar meu número. Se cê quiser, depois me adiciona.

ULISSES: Eu tô sem meu celular aqui. Não trouxe. Salva aí o meu.

GEORGE: Fala aí!

George pega a mochila do chão e retira o celular de dentro. CORTA PARA/

 

CENA 13. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: La Plata – Jota Quest.

Planos gerais. ANOITECE. CORTA PARA/

 

CENA 14. HOTEL COPACAPANA PALACE. FACHADA. EXT. NOITE.

SONOPLASTIA CONTINUA. Um táxi para em frente. Kadu e Josefa descem. O taxista retira as malas e as colocam no chão.

JOSEFA: (Encantada) Nossa! Que Hotel maravilhoso!

KADU: E você ainda nem viu por dentro, minha mãe.

JOSEFA: E você, já?

O táxi vai embora. Os funcionários do Hotel aproximam-se.

KADU: Eu sou viajado, Dona Josefa. Muitas patricinhas e coroas ricas já passaram na minha mão.

JOSEFA: É mesmo?! E nenhuma ficou com você...

KADU: Porque eu não quis! Era idiota e tava fissurado querendo a Hilda a todo custo. Mas eu consegui a grana que eu queria sem precisar aturar aquele porre.

JOSEFA: Conseguimos por um tempo. E esse tempo, já tá ameaçado!

KADU: Eu vou continuar ligando. O Horácio vai tremer quando souber que eu estou de volta ao Brasil. Quando eu colocar ele contra a parede, não vai ter saída!

Kadu sorri maliciosamente.

JOSEFA: Vamos que eu não vejo a hora de me esbaldar com um bom champanhe.

KADU: Sem exageros! Temos que controlar o máximo possível o dinheiro que ainda temos.

JOSEFA: Só um pouquinho, filhote. Só um pouquinho!

Josefa e Kadu avançam e entram no Hotel. Os funcionários pegam as malas e os seguem. CORTA PARA/

 

CENA 15. APARTAMENTO DE DJAVAN. QUARTO DE DJAVAN. INT. NOITE.

SONOPLASTIA OFF. Djavan e Hilda deitados na cama.

DJAVAN: O desfile tá cada vez mais perto.

HILDA: Eu tô preparada! E me sinto segura, meu amor. E isso tudo graças a você.

DJAVAN: Isso aí, meu amor!

HILDA: E você já sabe aonde vai ser esse desfile?

DJAVAN: Sim. Vai ser no Copacabana Palace.

HILDA: Já ouvir falar desse Hotel.

DJAVAN: É lindo. E eu tenho certeza que todos os olhos estarão voltados somente pra você. A melhor e mais linda de todas!

Hilda vibra. Ela e Djavan se beijam. CORTA PARA/

 

CENA 16. TOURO BRAVO. EXT. NOITE.

PANORAMA da pequena cidade. CORTA PARA/

 

CENA 17. CASA DE LETÍCIA. QUARTO DE HÓSPEDE. INT. NOITE.

Letícia e George sentados na cama.

LETÍCIA: Meu Deus! Cê sai pra um passeio e encontra um pretendente.

GEORGE: É Ulisses o nome dele. Cê conhece, tia?

LETÍCIA: Meu sobrinho, a cidade é pequena, mas nem por isso tenho que saber o nome de todo mundo. E também eu fiquei anos morando fora. Mas eu acho que sei quem é, sim. Se eu não me engano, é amigo da namorada do filho do Bartolo. É do bem, sim.

GEORGE: Que bom, tia!

LETÍCIA: Vou torcer, hein?! Você merece muito!

George, pensativo, sorri. CORTA PARA/

 

CENA 18. MANSÃO SANTANA. SALA DE JANTAR. INT. NOITE.

Horácio à mesa, jantando. Zetinha ao canto.

HORÁCIO: Senta aí e me acompanha, Zetinha!

ZETINHA: De novo?

HORÁCIO: É. Cê sabe que eu gosto de sua companhia.

ZETINHA: (Sentando-se) Licença!

HORÁCIO: Zetinha, eu queria te fazer um pedido.

ZETINHA: Pois pode fazer.

HORÁCIO: Quero que você tome conta da casa, de tudo. Eu já decidi; vou me entregar!

ZETINHA: Vai mesmo? Tem certeza disso, seu Horácio? O senhor sabe que não é só se entregar. Vai ser afastado da prefeitura, vai perder alguns bens, dinheiro.

HORÁCIO: Mas essa casa, não! Essa casa é minha! E tá mais do que decidido, Zetinha! Eu já não tô aguentando mais e não vou voltar atrás. Vou me entregar e acabar logo com tudo isso. Chegou a hora do ponto final!

Zetinha segura as mãos de Horácio, visivelmente comovida. CORTA PARA/

 

CENA 19. QUARTO DE HOTEL. INT. NOITE.

Ulisses deitado na cama entretido com o celular.

ULISSES: (Pra si mesmo) Eu convido ou não convido ele? Ai, meu Deus!

Ulisses segue digitando. CORTA PARA/

 

CENA 20. QUARTO DE HOTEL. INT. NOITE.

Igor sentado na cama, apenas de cueca.

IGOR: Vem, minha cadela! Vem que eu tô chamando, venha!

Rafaela sai de dentro do banheiro, no chão, com uma coleira amarrada no pescoço. Ela vai até Igor, de quatro, como uma cachorra. Igor bate um dos pés na cara de Rafaela.

IGOR: Chupa, vai! Lambe todinho!

RAFAELA: Sim senhor!

IGOR: Isso aí. Gosto assim, bem obediente.

Igor cospe na cara de Rafaela e a segura pega coleira.

IGOR: Agora late pro seu dono, vai! (Grita) LATE QUE EU TÔ MANDANDO, PORRA!

RAFAELA: (Sensualmente) Au, au.

IGOR: Delicia!

Igor dá um tapa na cara de Rafaela e a segura pelo cabelo.

IGOR: Agora vem aqui, vem!

Igor começa a retirar a cueca. Nos dois, visivelmente excitados. CORTA PARA/

 

CENA 21. TOURO BRAVO. EXT. NOITE.

PANORAMA da pequena cidade. AMANHECE. CORTA PARA/

 

CENA 22. CASA DE BARTOLO E DARCY. SALA. INT. DIA.

Darcy e o fisioterapeuta veem de dentro caminhando lado a lado.

DARCY: Cê acha mesmo que o Bartolo tá tendo bons resultados no tratamento, Doutor?

FISIOTERAPIA: Com toda certeza! Hoje e em todos os outros dias do tratamento, e já tinha notado isso. Mas agora não resta a menor dúvida, Darcy. Pode sorrir, porque é mais do que certo: O Bartolo voltará a andar! Aos poucos, ele vai!

Em Darcy, dando um largo sorriso, radiante. CORTA PARA/

 

CENA 23. MANSÃO SANTANA. SALA. INT. DIA.

Horácio falando ao celular. Zetinha ao canto.

HORÁCIO: Pode fazer o que você quiser, Kadu! Chega! Eu não vou colocar nem mais 1 real na sua conta. Acabou a mordomia, meu caro!

KADU: (OFF) Horácio, cê tá brincando com fogo. Eu tô aqui no Brasil. Posso acabar com tua festa em dois tempos. E se você não fizer o que eu estou mandando, é exatamente isso o que eu vou fazer!

HORÁCIO: Pois faça! (Risada) Você é mesmo um imbecil! Nem esse gostinho você vai ter. Sabe porquê? Porque eu mesmo é quem vou me entregar! Passar bem!

Horácio desliga o celular e o joga sobre o sofá. Ele leva as mãos sobre a cabeça.

HORÁCIO: (Respira fundo) Acabou, Zetinha! Acabou!

ZETINHA: Coragem, Seu Horácio. Coragem!

Zetinha abraça Horácio. CORTA PARA/

 

CENA 24. TOURO BRAVO. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: Nada vai mudar isso – Cássia Eller.

Planos gerais. ANOITECE. CORTA PARA/

 

CENA 25. CASA DE EMILIS. QUARTO DE EMILIS. INT. NOITE.

SONOPLASTIA CONTINUA. Emilis deitada na cama abraçada com o travesseiro, visivelmente pensativa. CORTA PARA/

 

CENA 26. CASA DE PIETRO. QUARTO DO CASAL. INT. NOITE.

SONOPLASTIA OFF. Pietro desliga o computador e se joga na cama. Lalá sai do banheiro.

LALÁ: Já vai dormir, amor? Que milagre!

PIETRO: (Visivelmente irritado) Vou. E daí?

LALÁ: Nossa! Que estresse todo é esse?

PIETRO: Tava jogando o jogo, gastei dinheiro e tudo nessa porra e não conseguir a desgraça da arma.

Lalá deita ao lado de Pietro.

LALÁ: (Serena) Calma, meu amor. Não precisa ficar assim, não. É assim mesmo. Uma hora você consegue. Só tem que diminuir as expectativas e não gastar tanto dinheiro em jogo, né?!

PIETRO: Eu sei, eu sei.

LALÁ: (Dengosa) Agora dá um sorriso aí pra sua princesa, vai.

PIETRO: (Sorri) Só você mesmo, minha manteiguinha linda, pra me acalmar assim, tão rápido.

Lalá alisa o rosto de Pietro. Eles se beijam rapidamente.

LALÁ: Amor... Eu preciso te dizer uma coisa.

PIETRO: Que coisa?

LALÁ: Eu tô preocupada.

PIETRO: Com o que, Lavínia? Fala logo!

LALÁ: Esse mês a minha menstruação ainda não chegou, tá atrasada. Eu acho que eu tô grávida! 

Na reação surpresa de Pietro. CORTA PARA/

 

CENA 27. QUARTO DE HOTEL. INT. NOITE. 

Ulisses abre a porta.

ULISSES: (Largo sorriso) George!

GEORGE: Você convidou e eu vim hoje.

ULISSES: Entra!

GEORGE: Licença!

George adentra o local. Ulisses fecha a porta.

ULISSES: Senta aí na cama. Pode ficar à vontade!

GEORGE: (Sentando-se) Tem muito tempo que cê tá morando aqui nesse hotel?

ULISSES: Não. Eu tava hospedado na casa de uma amiga. Mas tem alguns dias que eu tô aqui. Tô me acabando pra vender trufas na faculdade pra poder pagar. Quero mesmo é arranjar um emprego.

GEORGE: Se você quiser posso te ajudar. Falo com minha tia pra te encaixar na loja ou até te ajudo com alguma grana, se você quiser...

ULISSES: Acho que vou aceitar. Muito obrigado! Obrigado mesmo, Geo. Posso te chamar assim, né?

GEORGE: Claro!

ULISSES: Quer comer alguma coisa?

GEORGE: Não. Obrigado!

Ulisses senta-se ao lado de George.

ULISSES: A vida é mesmo uma caixinha de surpresa. Quem diria que ao final do meu passeio de ontem, eu fosse encontrar um cara tão legal assim?!

GEORGE: Eu digo a mesma coisa. E depois, a gente conversando no chat, eu senti ainda mais uma química, uma entrosação e uma combinação de pensamentos, de ideias. A gente é muito parecido!

ULISSES: Eu também achei. No meio gay é meio raro ser romântico, sonhador. Eu sempre fui assim. Sempre sonhei com um romance, daqueles de filmes mesmo, sabe?! Aquela felicidade, aquele amor que cresce a cada dia, a tal alma gêmea.

GEORGE:  Eu também sempre quis tudo isso. E acho que talvez a carência, a falta de esperança em achar algo assim, me fez ter medo e fazer uma grande merda no passado só pra conseguir logo essa felicidade, essa sensação. Acabei mexendo com sentimento e fragilidade de outra pessoa e me arrependi profundamente. Talvez essa ferida nunca feche e a culpa me corroa pelo resto da vida. Mas eu sei que daqui pra frente eu vou ser diferente, eu vou fazer diferente e com calma, paciência, tudo na hora certa vai acontecer!

ULISSES: Que bonito isso! Eu também passei por uma situação parecida. Quase perdi uma amizade e eu mesmo me atropelei. Mas nunca foi por algo carnal, por um simples tesão, entende?! Eu sempre dei valor mais aos simples momentos do que aquela meia hora na cama, aquela parte banal que depois que passa a gente volta pra estaca zero. Eu acho que o quem vem depois é o que fica, o que marca, o que importa e o que realmente me faz bem. Acho que é isso que realmente nos preenche. Uma pena que as algumas pessoas foquem tanto no outro lado e não deem lugar para preencherem o coração e eles continuam vazios.

GEORGE: Eu também sou assim. Nunca fui aquele cara que coloca o sexo acima de tudo. Se eu não tivesse no mínimo uma simpatia, um gostar pela pessoa, eu não conseguia ir. Fazer por fazer nunca foi minha praia. E eu sempre coloco a amizade em primeiro lugar. Nunca trocaria uma amizade sincera por uns minutinhos de prazer ou por uma insistência desnecessária.

ULISSES: Em relação a sexo, por mim, de nenhuma forma é muito a minha praia.

GEORGE: Como assim, Ulisses?

ULISSES: George, eu tenho uma coisa pra te dizer.

GEORGE: Fala!

ULISSES: Eu sou assexuado!

Reação de George. CORTA PARA/

 

CENA 28. RIO DE JANEIRO.  EXT. NOITE.

SONOPLASTIA: Clima de Rodeio – Dallas Company.

Planos gerais de diferentes pontos turísticos da cidade. Último take na fachada do Copacabana Palace. CORTA PARA/

 

CENA 29. COPACAPANA PALACE. SALÃO DE FESTA. INT. NOITE. 

SONOPLASTIA OFF. Uma enorme passarela no local. Muitas pessoas sentadas, fotógrafos e imprensa. A cortina se abre. Veridiana e Djavan aparecem e são aplaudidos por todos presentes.

VERIDIANA: Bem, quero começar agradecendo a presença de todos que estão aqui. Essa coleção é um sonho e foi um desafio pra mim. Justamente porque eu sair da zona de conforto e busquei inspiração em meios que não são os meus. E quer saber? Foi ótimo! Uma mistura de country e urbanidade vão mostrar e provar pra vocês o quanto a moda pode e deve ser plural e diversificada!

DJAVAN: Temos pessoas do meio na nossa plateia, peões e empresários renomados. Que com o tema da coleção, não poderiam faltar. Desde já agradeço a presença de todos eles. (T) As escolhas das modelos, foi, como sempre criteriosa e minuciosa. Mas hoje, garanto a vocês, o mundo conhecerá a nova grande revelação, nossa grande aposta que tem tudo pra se tornar uma grande estrela das passarelas. Então, vamos ao desfile!

Todos aplaudem. Veridiana e Djavan se posicionam ao canto. A cortina se abre. As modelos começam a desfilar. Chuva de flashs. Hilda entra na passarela. Todas as atenções se voltam para ela. Hilda caminha firme, olhar fixo até o fim da passarela. Ela vira e seus olhos vão de encontro com o de Gaspar que está sentado na plateia. Hilda para. Gaspar e Hilda se olham fixamente, paralisados. CORTA PARA/

 

FIM DO CAPÍTULO!

 

Créditos sobem ao som de: Amor de Criança – Vanilda d’ Paula.