!
Nosso site está em sua versão beta, em poucos dias poderá usufruir dele 100% completo! Fique Ligado!!!

16. DÉCIMO SEXTO CAPÍTULO

REIS DA ARENA


SOBRE O CAPÍTULO

Ulisses confessa tudo o que sente para Pietro.

VISUALIZAR PDF

MEGAPRO                                                                2018

 

 

REIS DA ARENA

 

CAPÍTULO 16

WEB NOVELA DE: Lucas Oliveira

ESCRITA POR: Lucas Oliveira

 

 

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO:

 HILDA
EMILIS
HORÁCIO
BARTOLO
DARCY
LETÍCIA
ZANDER
PIETRO
IGOR
GEORGE
ALANA
YURI
RAFAELA
DJAVAN
MARIELA
ULISSES
ZETINHA 

Participações:

TETÊ RAMEIRA
DIRETOR
EMPREGADAS

 

 

CENA 01. CASA DE GEORGE. SALA. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior. George sentado no sofá com os olhos visivelmente inchados. Ouve-se a campainha.

ALANA: (OFF) George, sou eu, Alana!

GEORGE: (GRITA) O PORTÃO TÁ ENCOSTADO. ENTRA AÍ!

Alana adentra o local.

ALANA: E aí, meu amigo, como é que você tá? Vim passar essa noite aqui, contigo.

GEORGE: Obrigado! Mas como é que você acha que eu tô, Alana?! Tô totalmente despedaçado, sem chão!

ALANA: Você já viu no jornal, nos sites de notícias?

GEORGE: Vi o que?

ALANA: Ah meu Deus! Pelo visto ainda não viu.

GEORGE: (Levantando-se) O que eu não vi, Alana? Fala logo!

ALANA: George, calma! Você vai precisar ser forte.

GEORGE: (Apreensivo) Falando assim cê tá me deixando mais nervoso ainda. Fala logo, Alana!

ALANA: O Edson...

GEORGE: O que tem ele?

ALANA: O Edson se matou, George! Ele morreu!

Clima tenso. Em George, em choque.

GEORGE: Como assim morreu, Alana? Não é possível!

ALANA: Cê acha que ia brincar com uma coisa dessas?

GEORGE: (Sentando-se/Retira o celular do bolso) Não pode ser, meu Deus!

ALANA: Olha aí nos sites jornalísticos. Ele se jogou de cima de um prédio. Foi uma cena horrível. Juntou um monte de pessoas em volta. Eu não tava lá, mas vi a notícia no site jornalístico assim que eu cheguei em casa.

GEORGE: (Olhando o celular/Começa a chorar) Não! Não é possível, Alana! Isso não pode ter acontecido com o meu Edson. Isso não. Isso não!

ALANA: (Sentando-se) Calma, meu amigo! Eu sei que é difícil, mas eu tô aqui com você. Eu tô aqui, Geo.

GEORGE: O pior de tudo é que a culpa é minha, Alana!

ALANA: Não!

GEORGE: Foi eu, eu quem fez isso com o homem que eu amo. O único homem que eu amei de verdade até hoje.

ALANA: Não se culpa, não se sinta culpado. Foi uma fatalidade!

GEORGE: Eu tive minha parcela de culpa sim, Alana. Nada do que você me disser vai me convencer do contrário. Eu vou entrar naquele quarto, Alana, e não vou sair mais de lá. Porque o Edson tinha razão; Eu sou um mostro! (Grita) MOOOONSTRO!

George sai correndo, chorando descontroladamente. Alana o segue. CORTA PARA/

 

CENA 02. ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO. INT. NOITE.

Cenário de quarto. Equipe a frente. Rafaela, Igor e Tetê vestindo-se. O diretor se aproxima deles.

DIRETOR: A cena foi espetacular! Olha, me atrevo a dizer que foi umas das melhores que já fiz.

TETÊ: Muito obrigada, querido chefinho!

DIRETOR: Eu sinto muito, Tetê, mas as estrelas dessa cena foram, sem dúvidas, o Igor e a Rafaela.

Igor sorri. Rafaela e Tetê se entreolham.

IGOR: Tomara que exploda no site!

DIRETOR: Vai bombar! E se bombar, Igor, vocês vão ganhar o triplo do que ganhou hoje.

RAFAELA: Nossa! Mas isso é bom demais!

IGOR: Pra cacete! (T) E será que dá pra adiantar a grana da gravação de hoje? Já te expliquei minha situação e cê sabe que preciso agilizar, né?!

DIRETOR: Claro! Você e a Rafa me acompanhe, por favor!

O diretor sai, seguido por Igor. Tetê puxa Rafaela pelo braço.

TETÊ: (Baixo) Depois pergunta pro Igor pra saber com quem ele sentiu mais prazer, tá?! Aí você vai abaixar um pouco mais esse topete.

RAFAELA: Acho que por aqui é você quem tá se achando demais, querida. E eu não preciso perguntar a ele nada, não. Ele já me responde a essa pergunta todos os dias na nossa cama, bem baixinho ao pé do meu ouvido.

TETÊ: (Riso forçado) Foi um desprazer te conhecer, querida!

RAFAELA: O desprazer foi todo meu!

Rafaela sorri forçadamente.

RAFAELA: Licença!

Rafaela sai. Em Tetê, visivelmente enojada. CORTA PARA/

 

CENA 03. CASA DE GEORGE. QUARTO. INT. NOITE.

SONOPLASTIA: INSTRUMENTAL – TRISTEZA.

George, deitado sobre o colo de Alana, dorme. Alana levanta a cabeça dele de forma lenta e se levanta. Ela abre o armário, retira um lençol de dentro e cobre George. Em Alana, o observando, visivelmente triste. CORTA PARA/

 

CENA 04. TOURO BRAVO. EXT. NOITE-DIA

SONOPLASTIA TROCA PARA: Viver Minas – Banda Isoldina.

Planos gerais. O sol nasce e se põe repetidas vezes. Último take no AMANHECER.

LEGENDA: Semanas depois...

 

CENA 05. CASA DE BARTOLO E DARCY. SALA. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Darcy sentada no sofá. Bartolo vem de dentro.

BARTOLO: Eu já estou indo!

DARCY: Já? Você não comeu nada, Bartolo!

BARTOLO: Tô com pressa!

DARCY: Eu ainda não tô muito acostumada em governar uma casa. Deixei a empregada chegar mais tarde hoje e deu no que deu. O café da manhã ainda não tá pronto.

BARTOLO: Não tem nada não, amor. Depois eu compro e como alguma coisa. O importante é que estamos aqui, no nosso canto, juntos, felizes e em paz.

DARCY: (Sorridente) É verdade. Eu às vezes acredito que tudo isso é um sonho. Essa casa, tão bonita. Nossa vida, nossa rotina, nosso sossego...

BARTOLO: (Olha em volta) A gente sente um orgulho, né?! Dei muito sorte de encontrar essa casa aqui na cidade. Em um local bom, bem arejada, bonita e eu comprei por um preço ótimo. O antigo dono tava louco pra se livrar logo. O Horácio nos ajudou bastante.

DARCY: Sim, porque naqueles dias que fiquei no hotel contigo depois de ter perdido nosso filho, não tínhamos cabeça pra pensar em mais nada.

BARTOLO: Foram dias horríveis.

DARCY: E que, sem dúvida alguma, irão ficar pra sempre em nossa memória, nas nossas lembranças.

BARTOLO: Bom, eu vou indo porque é hoje que o Djavan chega e antes de ir pra rodoviária, ainda tenho que passar na prefeitura. (A beija na testa) Beijo, amor. Bom dia!

DARCY: Bom trabalho!

BARTOLO: Obrigado!

Bartolo sai apressadamente. Em Darcy, sorrindo. CORTA PARA/

 

CENA 06. CASA DE EMILIS. QUARTO DE EMILIS. INT. DIA.

Emilis sentada na cama se passando cremes. A empregada adentra o local.

EMPREGADA: Com licença, Dona Emilis.

EMILIS: Fala!

EMPREGADA: Eu só vim avisar que o pedreiro que a senhora mandou contratar começa hoje. Ele ligou falando que mais tarde tá chegando.

EMILIS: Ótimo! Olha só o estado da minha parede?! Tá toda molhada! E isso não pode ficar assim no meu quarto. Com certeza deve ser alguma infiltração. Esse pedreiro que você me recomendou é competente mesmo, né?!

EMPREGADA: Claro! O Yuri também é lá de Toureiro. O trabalho dele é muito bom e ele é muito conhecido não só pelo pessoal de lá, como das redondezas também.

EMILIS: Então quando ele chegar, me avise!

EMPREGADA: Sim senhora!

EMILIS: E a Mariela ligou?

EMPREGADA: Não senhora!

EMILIS: Não?

EMPREGADA: Não!

EMILIS: Ela disse que me ligaria depois... Aquela dali tá cada vez mais distante. Ela tá evitando vim aqui em casa o máximo possível. Tá se afastando aos poucos de mim.

EMPREGADA: Qualquer coisa eu te aviso, tá?!

EMILIS: Claro! Agora saia!

EMPREGADA: Com licença!

A empregada sai.

EMILIS: (Pra si mesma) Posso perder o que for, mas a minha cabeça eu não abaixo nunca!

Em Emilis, visivelmente pensativa. CORTA PARA/

 

CENA 07. PREFEITURA MUNICIPAL. SALA DE HORÁCIO. INT. DIA.

Horácio à mesa. Bartolo à frente.

HORÁCIO: E eu continuo mantendo o Kadu lá no exterior. Ele se esbaldando e eu pagando a conta.

BARTOLO: Desde que você me contou que eu ainda não consigo acreditar que o Kadu foi capaz de fazer isso. É um mau-caráter da pior espécie!

HORÁCIO: E ele só tá calado porque eu tô dando boa vida. Sustentando ele e a parasita da Josefa. Ele fica mandando mensagens, recados, cheio de exigências. É um desaforado!

BARTOLO: E você vai ficar levando essa situação até quando, Horácio?

HORÁCIO: Eu não sei! O Kadu me tem nas mãos. E se eu vacilar, tudo desmorona.

BARTOLO: Se você se entregar, assumir as consequências do que você fez, a arma que ele tem não servirá mais de nada!

HORÁCIO: E aí eu quem vou sair prejudicado? Não!

BARTOLO: Mas vai tá com a consciência tranquila, com a alma lavada. Eu já te disse que/

HORÁCIO: (POR CIMA) Não vamos perder tempo falando disso! É melhor mudarmos de assunto, Bartolo.

BARTOLO: (Levantando-se) Bom, já estou indo pegar o Djavan na rodoviária!

HORÁCIO: Essa sim é uma grande noticia! E não se esqueça de leva-lo para o almoço que mandei a Zetinha preparar especialmente pra ele. Um empresário como esse e sabendo do proposito da vinda dele pra cá, tem que ser muito bem recepcionado.

BARTOLO: É. Mas o Djavan prefere descrição. Ele não quer alarde. Senão pode aparecer um monte de meninas correndo atrás dele, pedindo uma chance e não é isso que ele quer.

HORÁCIO: Eu sei!

BARTOLO: Foi o que ele me pediu e por isso estou falando.

HORÁCIO: O Djavan irá adorar a cidade...

BARTOLO: Eu também acho!

HORÁCIO: Eu tenho certeza!

Horácio sorri. Bartolo sai do local. CORTA PARA/

 

CENA 08. CONSULTÓRIO DE MARIELA. SALA DE ATENDIMENTO. INT. DIA.

Mariela e Ulisses frente a frente.

ULISSES: Eu acho que agora, finalmente, eu tô me sentindo seguro e encorajado pra me abrir, pra contar tudo que eu sinto.

MARIELA: Do tempo que eu te aconselhei a isso, Ulisses...

ULISSES: Eu sei, Mari. Mas eu ainda estava receoso e não estava preparado.

MARIELA: Você fez bem em esperar o seu tempo.

ULISSES: E ele chegou! E eu devo a você que me ajudou, vem me ajudando muitos de uns tempos pra cá.

MARIELA: Eu não sou isso tudo, não, Ulisses. Eu também erro e a culpa me consome.

ULISSES: Como assim?

MARIELA: Deixa pra lá!

ULISSES: Mas enfim, não te vejo só como uma profissional, Mariela, e sim como uma amiga.

MARIELA: Oh meu querido, eu é quem fico feliz em ouvir isso. Você só merece o melhor!

ULISSES: Muito obrigado, Mari. De coração!

Ulisses se Mariela se abraçam fortemente. Neles, visivelmente emocionados. CORTA PARA/

 

CENA 09. CASA DE BARTOLO E DARCY. SALA. INT. DIA.

Darcy sentada. Bartolo em pé ao lado de Djavan.

BARTOLO: E esse é o meu tão falado amigo Djavan!

DJAVAN: Prazer!

DARCY: (Levantando-se) O prazer é meu!

Eles se cumprimentam.

DARCY: Eu mandei a empregada arrumar o quarto de hóspede. Já tá a sua disposição.

DJAVAN: Muito obrigado!

BARTOLO: Ter você aqui na minha casa nova é um prazer, meu amigo!

DJAVAN: Pois é. Depois quero muito rever o Pietro que deve tá enorme.

BARTOLO: Sem dúvidas! (T) Agora vamos até a casa do Horácio, que é o prefeito da cidade, que ele tá te esperando pra almoçar.

DJAVAN: É muito gentil da parte dele.

BARTOLO: Você merece!

DARCY: Eu vou mandar a empregada levar essas malas pro quarto.

DJAVAN: Tá bom.

BARTOLO: Vamos!

DJAVAN: Até mais, Darcy!

DARCY: Até!

Bartolo e Djavan saem. Em Darcy, sorridente. CORTA PARA/

 

CENA 10. MANSÃO SANTANA. COZINHA. INT. DIA.

Zetinha em frente ao fogão, cozinhando. Hilda adentra o local de biquíni, óculos e chapéu.

HILDA: Zetinha, estou indo!

ZETINHA: (Vira-se) Cê vai pra onde, menina?

HILDA: (Aponta para o corpo) Ué, preciso mesmo dizer?

ZETINHA: Pra cachoeira?

HILDA: É. Se não tem nada de novo na cidade, cheguei a conclusão que é melhor aproveitar o que já tem. E aproveitar as belezas naturais de Touro Bravo nunca é demais. Ainda mais com um solzão desses aí.

ZETINHA: Mas Hilda, cê esqueceu que o tal empresário Djavan Fernandes tá chegando hoje?

HILDA: E?

ZETINHA: Ele vai vim almoçar aqui.  É convidado de honra do seu pai. E você sendo a filha dele, filha do prefeito, não pegará nada bem se não estiver presente.

HILDA: É Convidado do MEU PAI. Você disse e deixou isso muito bem claro, Zetinha. E se ele é convidado do meu pai, é ele quem tem que tá presente.

ZETINHA: Mesmo assim, Hilda...

HILDA: Eu vou apenas dar uns mergulhos. Talvez eu nem demore. Beijos, Zetinha!

ZETINHA: Bom passeio!

HILDA: Obrigada!

Hilda sai. Zetinha volta a mexer a panela, balançando a cabeça negativamente. CORTA PARA/

 

CENA 11. CASA DE PIETRO. QUARTO DO CASAL. INT. DIA.

Pietro, sentado na cama, tira o tênis e deita em seguida. Ele retira o celular do bolso e visivelmente se entretém. Ouve-se batidas na porta.

PIETRO: Quem é?

ULISSES: (OFF) Sou eu, o Ulisses!

PIETRO: Ah, pode entrar!

Ulisses entra e fecha a porta.

ULISSES: Que bom que eu te encontrei em casa.

PIETRO: Eu cheguei neste instante. A Lalá ainda não chegou da faculdade.

ULISSES: Eu sei. É que eu queria falar conversar contigo.

PIETRO: Aconteceu alguma coisa?

ULISSES: Mais ou menos.

PIETRO: Senta aí!

Ulisses senta-se na cama.

PIETRO: Tava aqui vendo um filme aqui...

ULISSES; Que filme?

PIETRO: Pornô.

ULISSES: (Riso) Como sempre, né?!

PIETRO: Não, não. Vejo só por cima mesmo, de curiosidade. É do Igor Ferreira e dessa vez tá com a namorada dele, Rafaela Carvalho e a Tetê Rameira também. Duas ao mesmo tempo. Esse Igor realmente não tem limites! Ele sempre foi assim.

ULISSES: Como assim?

PIETRO: O Igor nasceu aqui na cidade. Ele é filho da empregada do prefeito Horácio. A gente chegou a brincar junto e tudo. Mas ele é mais velho do que eu e foi embora assim que fez 18 anos. E Agora tá lá no Rio de Janeiro.

ULISSES: E fazendo filme pornô?

PIETRO: É. Deve ser que foi a única coisa que ele conseguiu arranjar, que conseguiu se encaixar ou que realmente gosta.

ULISSES: A mãe dele já sabe disso?

PIETRO: Muitos caras aí já devem ter assistido as cenas dele. Mas nenhum vai ter coragem de chegar pra Zetinha e contar.

ULISSES: É verdade!

PIETRO: Só quem pode falar é o próprio Igor, se algum dia voltar pra cá.

ULISSES: É...

PIETRO: Eu aqui falando e nem te deixei falar. O que tu quer conversar comigo mesmo? Fala aí, cara!

Em Ulisses, visivelmente nervoso. CORTA PARA/

 

CENA 12. MANSÃO SANTANA. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

Horácio, Bartolo e Djavan à mesa. Zetinha em pés, os servindo.

DJAVAN: A comida tá uma delícia!

HORÁCIO: Foi a nossa querida Zetinha quem fez!

ZETINHA: (Riso) Muito obrigada!

Zetinha se posiciona ao canto.

DJAVAN: Amo carne seca! Mas tô curioso e morrendo de vontade mesmo é de experimentar o tão falado e famoso pão de queijo.

HORÁCIO: Ah, mas a Zetinha faz um pão de queijo como ninguém!

ZETINHA: Isso é verdade!

BARTOLO: Eu já comi e posso confirmar que sim.

ZETINHA: Tá vendo aí?! Todo mundo que experimenta, gosta.

DJAVAN: Agora a vontade de experimentar essa iguaria tão tipicamente mineira, só aumentou.

ZETINHA: Fique tranquilo que eu ainda prepararei uns para o senhor.

DJAVAN: Senhor?

ZETINHA: Djavan?

DJAVAN: (Sorrindo) Melhor...

ZETINHA: Me desculpe!

DJAVAN: Faça os pães de queijo e eu penso se aceito ou não as suas desculpas, ok?!

ZETINHA: Pode deixar!

Todos riem.

BARTOLO: O Djavan é uma figura!

HORÁCIO: Mas então quer dizer que seu foco é achar uma nova estrela aqui em Touro Bravo, né isso, Djavan?

DJAVAN: Exatamente!

BARTOLO: Aqui em Touro Bravo tem muitas mulheres bonitas. Eu já falei isso pro Djavan várias vezes. São mulheres que só precisam ser lapidadas e algumas que nem isso.

DJAVAN: Pois é. O meu objetivo é encontrar essa jovem, a levar para o Rio de Janeiro e fazer dela a estrela da nova coleção de minha irmã, Veridiana Castanheiras.

HORÁCIO: Que por sinal é uma profissional maravilhosa!

BARTOLO: É uma família de talentos!

DJAVAN: Bom, modéstia à parte, realmente isso eu não posso negar!

Todos riem. Clima harmônico. CORTA PARA/

 

CENA 13. CASA DE EMILIS. SALA. INT. DIA.

Ouve-se a campainha tocar. A empregada vem de dentro. Emilis desce a escada.

EMPREGADA: Deve ser o pedreiro.

EMILIS: Já era tempo!

A empregada abre a porta.

EMPREGADA: Oi, Yuri. Entra! A Dona Emilis já tá de esperando!

Yuri (Alto, negro, em forma e com aproximadamente uns 35 anos) adentra o local. A Empregada fecha a porta.

YURI: Com licença!

EMPREGADA: Então, Dona Emilis, esse é o Yuri!

EMILIS: (Olhando-o de baixo para cima) Eu tô vendo. E estou vendo muito bem visto!

YURI: Como vai, Emilis?

EMILIS: (Boquiaberto) Bom, eu vou muito bem! E, sem dúvidas, melhor agora!

YURI: Que bom!

EMILIS: Já gostei de você porque não me chamou de dona ou senhora. Muito bem, meu rapaz!

YURI: (Leve sorriso) Onde é o serviço?

EMILIS: É lá no meu quarto. Venha comigo que eu vou te mostrar!

YURI: É pra já!

Emilis sobe à escada, seguida por Yuri, que a olha de baixo pra cima. A empregada percebe e sorri. Nela, balançando a cabeça negativamente. CORTA PARA/

 

CENA 14. CASA DE LETÍCIA. COZINHA. INT. DIA.

Letícia e Zander à mesa, jantando.

ZANDER: Letícia, eu tava pesando...

LETÍCIA: Em que?

ZANDER: Eu aqui em casa sem fazer nada, nesse ócio, pode não ser bom nem pra mim e nem pra você que tá me abrigando na sua casa com tanto carinho.

LETÍCIA: Ah, Zander, não precisa ficar/

ZANDER: (POR CIMA) Será que eu poderia trabalhar com você na loja?

LETÍCIA: Trabalhar na loja?

ZANDER: É.

LETÍCIA: Bem, é que/

ZANDER: (POR CIMA) Sei lá, pode ser qualquer coisa. Eu prometo que não vou atrapalhar. Meu foco vai ser ajudar, somar sempre!

LETÍCIA: Eu não acho má ideia. Será um enorme prazer te ter também como um colega de trabalho, Zander.

ZANDER: (Animado) Sério?

LETÍCIA: Mas é claro! Só tenho que pensar em que área você poderia ficar, que seja melhor pra você.

ZANDER: Poxa, eu nem sei o que dizer.

LETÍCIA: Não precisa dizer nada, Zander.

ZANDER: Obrigado, Letícia! Muito obrigado mesmo!

LETÍCIA: Magina!

SONOPLASTIA: De Perto – Paralamas do Sucesso.

ZANDER: Você é a mulher mais incrível que eu conheço!

LETÍCIA: Será que eu sou tudo isso mesmo?

ZANDER: Pode ter certeza que muito mais!

LETÍCIA: Desse jeito eu vou ficar sem graça, Zander.

ZANDER: Até sem graça você fica linda!

Letícia e Zander se dão as mãos e sorriem um para o outro. CORTA PARA

 

CENA 15. CASA DE PIETRO. QUARTO DO CASAL. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Pietro e Ulisses sentados na cama. Pietro joga o celular sobre a cama.

PIETRO: Então, cara, fala aí!

ULISSES: (Nervoso) É que...

PIETRO: Relaxa! Precisa ter neura não, rapaz!

ULISSES: Eu quero cê saiba, Pietro, que você não tem culpa de nada! Tudo que eu vou falar é tudo de mim, tudo partiu de mim, somente de mim.

PIETRO: Beleza! Mas o que é?

Ulisses desviando o olhar.

PIETRO: Cospe de vez, sem rodeios!

ULISSES: (Respira fundo) Pietro: eu tô completamente apaixonado por você e não tenho a menor ideia do que fazer com esse sentimento! A menor ideia!

Ulisses cabisbaixo. Pietro, visivelmente surpreso. CORTA PARA/

 

CENA 16. CASA DE BARTOLO E DARCY. SALA. INT. DIA.

Ouve-se a campainha tocar. Darcy vem de dentro.

DARCY: (Tom alto) Já vai!

A empregada vem de dentro.

EMPREGADA: Deixa que eu abro, Dona Darcy!

DARCY: Ah, desculpa! Eu já estava indo abrir.

EMPREGADA: Pode deixar que eu abro!

DARCY: É a falta de costume. Nunca tive empregadas, essas coisas. Ainda tô me acostumando.

EMPREGADA; (Leve sorriso) Ah...

A empregada abre a porta.

DARCY: Quem é?

MARIELA: (Entrando) Sou eu, Darcy! Talvez você não queira falar comigo, mas eu preciso muito conversar com você.

DARCY: (Surpresa) Como é que você tem coragem de aparecer aqui, na minha casa?

Todos se entreolham. Em Darcy, encarando Mariela. CORTA PARA/

 

CENA 17. CASA DE EMILIS. QUARTO DE EMILIS. INT. DIA.

Emilis em pé. Yuri abaixado analisando a parede.

EMILIS: Já sabe mais ou menos o que é que tá causando tudo isso?

YURI: É uma infiltração!

EMILIS: Eu sabia!

YURI: Algum pedreiro burro fez um serviço muito mal feito aqui.

EMILIS: Desteto incompetência!

YURI: Já a competência é meu segundo nome!

EMILIS: (Ri) Hummm. Muito bom saber!

Yuri se levanta lentamente e bem perto de Emilis vai chegando até seu rosto.

YURI: (Encarando-a/Sensualmente) Vai querer que eu comece a fazer o serviço agora, madame?

EMILIS; (Envolvida) Claro! Afinal, é pra isso que você tá aqui!

YURI: Você quem manda!

EMILIS: É?

YURI: Pelo o menos nesse caso, sim!

EMILIS: Tem como você se afastar um pouquinho? Tá um calor...

YURI: Com toda certeza!

Yuri se afasta e não para de encarar Emilis. Ela desvia o olhar. Yuri se abaixa novamente. Em Emilis, se abanando com as mãos. CORTA PARA/

 

CENA 18. MANSÃO SANTANA. SALA. INT. DIA.

Horácio, Bartolo e Djavan sentados no sofá. Zetinha em pé ao canto. Todos rindo.

DJAVAN: Você também é muito divertido, Horácio. Bem que o Bartolo me falou!

BARTOLO: O Horácio sempre foi muito bem humorado.

DJAVAN: Pois é. Tem horas que eu até esqueço que estou falando com o prefeito da cidade.

HORÁCIO: Ah, mas pode esquecer mesmo. Pode deixar as formalidades de lado. O Horácio prefeito fica lá na prefeitura.

DJAVAN: Isso é muito bom. Acho muito importante saber separar.

HORÁCIO: Às vezes, eu confesso, é inevitável! Mas na maioria das vezes, eu procuro não trazer trabalho pra casa.

DJAVAN: É o certo.

BARTOLO: Só faltou mesmo o Djavan conhecer a Hilda.

HORÁCIO: É mesmo!

DJAVAN: Sua filha, né?

HORÁCIO: Isso! Mas essa menina foi achar de sair logo hoje. Ela foi pra onde, Zetinha?

ZETINHA: Ela disse que iria pra cachoeira, mas que seria rapidinho.

HORÁCIO: Esse rápido dela...

BARTOLO: As belezas naturais de Touro Bravo também são coisas que você precisa conhecer, Djavan.

DJAVAN: Minha viagem é rápida! Eu não posso me distrair, senão eu desvio do foco.

HORÁCIO: Mas o Bartolo tem razão! Os pontos turísticos de Touro Bravo são verdadeiros cartões postais. E se você já tá aqui, não tem porque não os conhecer.

DJAVAN: Vou fazer o possível!

BARTOLO: Não vai se arrepender!

DJAVAN: (Levantando-se) Bom, foi tudo muito bem e muito bom, mas eu já estou indo. Vamos, Bartolo!

Horácio e Bartolo se levantam.

BARTOLO: Vamos!

HORÁCIO: Mas já? Ainda tá cedo.

DJAVAN: É que eu ainda tenho que descansar da viagem e depois começar logo a minha busca. Não quero perder tempo.

HORÁCIO: Eu compreendo! Adorei te conhecer!

DJAVAN: Digo o mesmo! E fico muito agradecido pelo almoço.

HORÁCIO: Não precisa agradecer.

DJAVAN: Com uma recepção foi maravilhosa dessas, eu preciso sim! Muito obrigado!

HORÁCIO: Às ordens!

Todos riem. Hilda adentra o local e invade a sala apenas de biquíni. Djavan a olha de baixo para a cima.

SONOPLASTIA: Apenas mais uma de amor – Lulu Santos.

HILDA: Boa tarde!

HORÁCIO: (Repreendendo-a) Hilda!!!

DJAVAN: (Boquiaberto) Achei! Encontrei antes mesmo de preocupar!

Em Djavan, visivelmente fascinado. CORTA PARA/

 

FIM DO CAPÍTULO!

 

Créditos sobem ao som de: Apenas mais uma de amor – Lulu Santos.

 

 

ATENÇÃO LEITORES

Esta postagem foi feita em arquivo PDF para preservar a formatação escolhida pelo autor da obra. A rede MEGAPRO adota esse comportamento visando que nossa equipe de autores possam se sintam à vontade sempre e desfrute da melhor experiência