!
Nosso site está em sua versão beta, em poucos dias poderá usufruir dele 100% completo! Fique Ligado!!!

14. DÉCIMO QUARTO CAPÍTULO

REIS DA ARENA


SOBRE O CAPÍTULO

Pietro descobre que Bartolo tem uma amante.

VISUALIZAR PDF

MEGAPRO                                                                2018

 

 

REIS DA ARENA

 

CAPÍTULO 14

WEB NOVELA DE: Lucas Oliveira

ESCRITA POR: Lucas Oliveira

 

 

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO:

 

HILDA
KADU
JOSEFA
EMILIS
HORÁCIO
BARTOLO
DARCY
LETÍCIA
ZANDER
LALÁ
PIETRO
IGOR
GEORGE
EDSON
ALANA
RAFAELA
DJAVAN
VERIDIANA
MARIELA
ULISSES
ZETINHA

  

 

CENA 01. CASA DE BARTOLO. SALA. INT. DIA.

Continuação imediata do capítulo anterior. Emilis e Darcy frente a frente.

EMILIS: Senta, Darcy! A conversa vai ser longa!

DARCY: Não. Eu estou bem de pé!

EMILIS: (Sentando-se) Bom, eu não. Estou muito cansada. Usar salto alto o tempo todo cansa demais. Aliás, acho que não só pra mim como pra qualquer mulher, né?! (Retira os sapatos) Eu vou levar os sapatos até meu closet e volto pra gente conversar, tá?

DARCY: Tá certo!

EMILIS: (Levantando-se) Não quer vir comigo, Darcy?

DARCY: Não. Eu prefiro ficar aqui.

EMILIS: Tem certeza?

DARCY: Sim.

EMILIS: Vem! É bom que você conhece melhor a casa. E principalmente o quarto que eu sempre dormi com o Bartolo. Vem comigo!

DARCY: (Desconfiada) Eu ainda não tô entendo aonde você quer chegar.

EMILIS: Você vai entender! Vem!

Emilis sobe as escadas e Darcy a segue. As duas na escada. Emilis se vira.

EMILIS: Grávida? Filho do Bartolo? (Leve sorriso) Não, querida. Nem pensar!

Emilis solta um dos sapatos que cai na escada. Darcy assusta-se. O sapato desce embolando. Darcy tropeça no sapato e cai, enrolando escada abaixo. Emilis desce a escada e se aproxima de Darcy.

EMILIS: (Irônica) Oh, minha querida. Que tragédia!

Bartolo desce a escada rapidamente.

BARTOLO: Que barulho é... (Vê Darcy caída) O que você fez, Emilis? (Pegando-a pelo braço) O que você fez? Responde!

Bartolo encarando Emilis. Clima tenso.

BARTOLO: (Grita) RESPONDE, EMILIS!

EMILIS: Eu não fiz nada, Bartolo. Eu e ela estávamos subindo a escada e aí eu derrubei o sapato e ela tropeçou nele e caiu.

BARTOLO: Você acha que eu acredito nisso?

EMILIS: Você acreditando ou não, foi o que aconteceu!

Bartolo solta Emilis e aproxima-se de Darcy.

BARTOLO: (Chacoalhando-a) Acorda, Darcy! Fala comigo, meu amor! Pelo amor de Deus! (P/Emilis) Pra que cê chamou ela pra cá? Pra quê?

EMILIS: Eu precisava olhar pra ela, falar com ela de igual pra igual. Vê até onde essa criatura consegue ir. E, pelo visto, não muito longe.

BARTOLO: Você tá completamente louca, Emilis! (Olhando-a com asco) Seu desequilíbrio me assusta! (T) Se acontecer alguma coisa com a Darcy ou com meu filho e eu descobrir que você teve alguma participação nisso, eu acabo contigo! Acabo!

Bartolo retira o celular do bolso e começa a discar.

BARTOLO: (Leva a orelha) Alô?! Tô precisando de uma ambulância aqui, pelo amor de Deus!

Em Bartolo, visivelmente desesperado. CORTA PARA/

 

CENA 02. MANSÃO SANTANA. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

Hilda e Horácio à mesa. Zetinha servindo-os.

HORÁCIO: (Saboreando) Hummmm. Essa carne tá deliciosa, no ponto certo, Zetinha!

ZETINHA: (Sorridente) Obrigada!

HORÁCIO: Somente a verdade!

ZETINHA: Fiz do jeito que o senhor gosta.

HORÁCIO: E está perfeita.

ZETINHA: Que bom que gostou tanto!

HORÁCIO: Finalmente voltou a comer e saiu daquele quarto, né, Hilda?!

HILDA; É. E eu fui à casa do Kadu hoje.

HORÁCIO: Eu já imaginava.

HILDA: Só que ele vai embora, pai! Vão viajar pro exterior e ainda hoje.

ZETINHA: O Kadu vai pra onde, Hilda?

HILDA: Eu não sei, só sei que é pro exterior. Vai junto com a Josefa. Eu fiquei tão triste. Não é uma ida definitiva, mas ele não tem previsão de volta.

HORÁCIO: (Preocupado) E ele te falou o motivo da ida?

HILDA: Disse que era pra resolver coisas relacionadas aos negócios da família.

HORÁCIO: (Aliviado) Ah...

HILDA: Cê não vai ir se despedir do Kadu, da Josefa?

HORÁCIO: (Frio) Eu não!

HILDA: Mas por que essa frieza toda, pai? Entendo que a Josefa e o Kadu nunca foram seus amigos, mas eles sempre foram próximos a nós, inclusive pelo Mauro, pai do Kadu, ter sido seu sócio no passado. E eu sempre adorei o Kadu. Minha amizade com ele é igual o meu amor pelo Gaspar... De criança!

ZETINHA: Isso é verdade! Desde criança vocês já eram amigos, brincava juntos. Eu lembro! (Ri) E o Gaspar já demonstrava ciúmes. Apesar de eu não ter uma relação mais próxima com ele, o Kadu vai fazer falta!

HORÁCIO: Pois pra mim a ida dele não vai fazer falta nenhuma!

Horácio se levanta.

ZETINHA: Não vai terminar de comer, Seu Horácio?

HORÁCIO: Perdi o apetite, Zetinha. Com licença!

Horácio sai.

HILDA: Eu sinceramente não entendi essa reação do meu pai.

ZETINHA: Ele tá preocupado com outras coisas. Deve ser problemas na prefeitura. Quando a cabeça de seu pai tá cheia, o mundo lá fora é como se não existe mais!

HILDA: Sei...

Em Hilda, visivelmente encucada. CORTA PARA/

 

CENA 03. HOSPITAL. RECEPÇÃO. INT. DIA.

Darcy, na maca, é levada pra dentro. Bartolo intercepta o médico.

BARTOLO: Me deixa entrar também, Doutor. Por favor!

MÉDICO: Não pode, Bartolomeu! Você tem que ficar aqui! Ela vai ficar bem!

BARTOLO: (Agoniado) Mas eu não vou aguentar de agonia. Ela tá grávida, Doutor! Salva essa criança, pelo amor de Deus!

MÉDICO: Vamos fazer tudo que for possível. Fique aqui e depois eu venho e te dou notícias.

O médico sai. Em Bartolo, andando de um lado para o outro, visivelmente aflito. CORTA PARA/

 

CENA 04. CASA DE BARTOLO. SALA. INT. DIA.

SONOPLASTIA: Nada vai mudar isso – Cássia Eller.

Emilis pega vasos e os jogam contra a parede. Emilis se joga no chão, chorando descontroladamente. Ela retira seu celular do bolso e começa a discar.

EMILIS: (Segurando o choro) Mariela, vem pra cá agora! Vem pra cá, minha amiga. Pelo amor de Deus!

Em Emilis, chorando compulsivamente. CORTA PARA/

 

CENA 05. RODOVIÁRIA. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Kadu e Josefa caminham lado a lado.

KADU: Não sei pra que essa mala cheia, minha mãe.

JOSEFA: Eu já deixei muita coisa pra trás, Kadu. Pelo o menos as coisas que eu mais sou apegada, eu tenho que levar.

KADU: Você vai conseguir muito mais e coisas bem melhores com o dinheiro do Horácio. (Ri) Nem acredito que tô deixando esse fim de mundo. Só de pensar que quando eu chegar ao aeroporto de Belo Horizonte e entrar naquele avião, eu vou tá deixando tudo isso aqui pra trás.... Ah, agora é vida nova!

JOSEFA: E muito luxo!

SONOPLASTIA: La Plata – Jota Quest.

KADU: Acelera o passo que o ônibus daqui a pouco sai. Vamos, Dona Josefa! Vamos!

Kadu e Josefa aceleram os passos. CORTA PARA/

 

CENA 06. CASA DE BARTOLO. SALA. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Emilis no chão. Mariela adentra o local.

MARIELA: (Assustada) Meu Deus! O que aconteceu aqui, Emilis?

EMILIS: (Choro contido) Quebrei tudo! Depois a empregada limpa.

MARIELA; (Aproximando-se) Emilis, levanta daí pelo amor de Deus, minha amiga.

EMILIS: (Levantando-se) Eu tô um caco, Mariela!

MARIELA: O que aconteceu aqui, hein?

EMILIS: Eu fui lá ao hotel onde a tal Darcy tá hospedada.

MARIELA: Meu Deus, Emilis! Você tinha me prometido que não iria fazer isso.

EMILIS: Eu não aguentei! Só sei que coloquei aquela vagabunda contra a parede e a mandei vim pra cá. Só que aí quando ela chegou eu acabei derrubando um sapato na escada, ela tropeçou e caiu. O Bartolo saiu daqui com ela e ambulância. Ai que ódio!

MARIELA: A Darcy caiu da escada? Não! Essa história tá muito mal contada. Você por acaso fez isso de propósito, Emilis?

EMILIS: (Fria) Fiz!

MARIELA: (Perplexa) Emilis, como você teve coragem de fazer isso? A Darcy tá grávida!

EMILIS: Por isso mesmo! Foi demais pra mim. Eu não pensei e agir por impulso. Só sei que o Bartolo não vai mais ficar aqui nessa casa. Ele tava arrumando as malas quando tudo aconteceu.

MARIELA: Eu ainda não tô conseguindo digerir tudo isso. Não tô te reconhecendo mais.

EMILIS: Por falar nisso; eu mesma vou terminar de arrumar as malas dele!

Em Emilis, decidida. CORTA PARA/

 

CENA 07. CASA DE PIETRO. COZINHA. INT. DIA.

Lalá e Ulisses à mesa.

LALÁ: Eu também tô com dificuldade nessa matéria, Ulisses. E o professor não alivia.

ULISSES: Como a gente tá fazendo o mesmo curso, temos que nos ajudar, amiga. Vamo tirar uma hora aí pra estudarmos juntos.

LALÁ: Sim. Tô precisando mesmo fazer isso. Mas é que eu só tenho a noite pra ficar com meu Pietro, dar atenção a ele... (Sorri) Aí eu tenho que aproveitar.

Ulisses dá um leve sorriso. Pietro adentra o local.

PIETRO: (Esbaforido) Gente, meu pai acabou de me ligar!

LALÁ: O que foi, meu amor? O que aconteceu?

PIETRO: Ele me disse que tá no hospital!

ULLISSES: No hospital?

PIETRO: É.

ULISSES: Mas por quê?

PIETRO: Eu não entendi direito, mas eu vou lá saber o que é.

LALÁ: Tomara que não tenha sido nada grave. Eu só não vou contigo, amor, porque depois que eu terminar de almoçar, tenho que voltar pra faculdade.

PIETRO: Tudo bem, amor. Também vou mandar uma mensagem pra Letícia dizendo que não vou ir pra loja e avisando tudo.

ULISSES: Mas se precisar de alguma coisa, vai lá na faculdade ou liga pra gente, né, Lalá?

LALÁ: Claro!

PIETRO: (Beijando-a rapidamente) Tchau, amor!

LALÁ: Beijo!

Pietro sai apressadamente. Em Lalá, visivelmente preocupada. CORTA PARA/

 

CENA 08. MANSÃO SANTANA. QUARTO DE HILDA. INT. DIA.

Hilda deitada na cama. Zetinha em pé.

HILDA: (Segurando o choro) E agora, Zetinha?

ZETINHA: E agora o quê?

HILDA: Minha vida tá chata, parada, monótona. Eu não sei o que fazer. O Gaspar foi embora. Agora o Kadu também. Rodeio nessa cidade, sem o Gaspar e o Neon, não vai ter tão cedo. E se tiver não vai ter tanta graça e nem fazer tanto sucesso. Eles eram os que mais se destacavam e chamava atenção. Até a cidade tá parada, Zetinha! Meu pai como prefeito, precisa sentar com o Bartolo e criar um novo evento urgente pra aqui. Depois eu vou falar com ele!

ZETINHA: O seu pai tá cheio de coisas na cabeça, preocupado. Você mesma viu, Hilda. Não é o bom momento pra ele pensar nisso.

Horácio adentra o local.

HILDA: (Baixo) Falando no diabo... (Leve sorriso).

HORÁCIO: Cês não vão acreditar!

ZETINHA: (Curiosa) O que aconteceu, Seu Horácio?

HORÁCIO: Eu tô indo pro hospital! O Bartolo me ligou e tá lá desesperado. Parece que a Darcy pode até perder o filho dele.

HILDA: (Confusa) Filho? Darcy? De quem cê tá falando, pai?

HORÁCIO: É... Bom, acho que essa história vai vim à tona mesmo. Eu vou contar: Darcy é a amante do Bartolo!

ZETINHA: (Boquiaberta) Nossa!

HORÁCIO: E ela tá grávida! Lógico que a Emilis não sabia de nada, mas aí descobriu e como era de se esperar, fez o maior escândalo e pediu pro Bartolo ir embora de casa.

HILDA: O Bartolo com uma amante?! Quem diria!

HORÁCIO: Só que eu não sei como, mas pelo que o Bartolo me contou, a Darcy apareceu lá na casa dele também. Com certeza foi coisa da Emilis. E aí Darcy caiu da escada.

ZETINHA: A Emilis que empurrou?

HORÁCIO: O Bartolo me disse que não, mas ele desconfia da Emilis. Vindo daquela dali não se pode duvidar de nada!

HILDA: (Pasma) Que loucura!

HORÁCIO: Bom, eu vou lá ficar com o Bartolo. Vou ficar dando uma força e não tenho hora pra voltar.

ZETINHA: Vai sim, Seu Horácio. Fica por dentro das novidades e depois conta pra gente!

HORÁCIO: Tá certo, Zetinha!

Horácio sai. Zetinha e Hilda se entreolham. CORTA PARA/

 

CENA 09. HOSPITAL. RECEPÇÃO. INT. DIA.

Bartolo sentado. Pietro adentra o local.

BARTOLO: (Levantando-se) Oh meu filho, ainda bem que você veio!

Bartolo e Pietro se abraçam fortemente. O abraço termina.

PIETRO: Oh pai, eu ainda não entendi direito o que aconteceu. Quem é essa tal de Darcy?

BARTOLO: A Darcy é minha paixão, meu amor!

PIETRO: Como assim, pai? Cê tá querendo dizer que a Darcy é sua amante?

BARTOLO: Exatamente, Pietro! Mas não me condena. Eu sei que fui fraco, que eu agir errado em ter mantido essa história em segredo durante tanto tempo. Agora a sua mãe descobriu tudo e deu no que deu.

PIETRO: Pera aí; a minha mãe tem alguma coisa a ver com isso, pai?

BARTOLO: A Emilis descobriu tudo, descobriu que a Darcy tá grávida/

PIETRO: (POR CIMA/Assusta-se) Grávida?! (Leva a mão a cabeça) Meu Deus, pai! Porque você me escondeu isso? Sempre fomos amigos, parceiros, nossa diferença de idade não é grande... Por que, pai?

BARTOLO: Eu não sei, eu não sei. Me perguntar tudo isso agora é inútil! Eu não vou saber te responder. (Segura o choro) Eu só quero que a minha Darcy e o meu bebê fique bem, Pietro. É só nisso que eu consigo pensar agora.

PIETRO: Oh pai, calma! (Abraçando-o) Eu tô aqui contigo! Tamo junto sempre. Sempre! Força!

Bartolo e Pietro abraçados. Clima melancólico. CORTA PARA/

 

CENA 10. CASA DE LETÍCIA. SALA. INT. DIA.

Letícia levanta do sofá. Zander vem de dentro chupando uma laranja e segurando uma vasilha cheia.

LETÍCIA: Vou ter que ir pra loja!

ZANDER: Ué, você não tinha dito que ia ficar em casa, Letícia?

LETÍCIA: É. Mas o Pietro acabou de me mandar uma mensagem dizendo que não vai poder ir pra loja. Parece que o Bartolo tá no hospital e/

ZANDER: (POR CIMA) O Bartolo teve o que?

LETÍCIA: Acho que nada! Eu ainda não entendi direito o que aconteceu, mas se fosse alguma coisa com o Bartolo, o Pietro teria me dito.

ZANDER: É verdade.

Letícia pega a bolsa sobre a mesa de centro.

LETÍCIA: Vou indo! Tchau, tchau!

ZANDER: Tchau, Letícia.

SONOPLASTIA: Tédio – Biquini Cavadão.

Letícia sai. Zander senta no sofá, liga a televisão e começa a descascar outra laranja. CORTA PARA/

 

CENA 11. CASA DE BARTOLO. QUARTO DO CASAL. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Emilis colocando as roupas de Bartolo dentro da mala. Mariela ao lado.

MARIELA: Emilis, agir sem pensar não trás nada de bom. Prova disso foi a tragédia que aconteceu hoje aqui.

EMILIS: (Visivelmente furiosa) Não aconteceu tragédia nenhuma aqui! Aconteceu o que tinha que acontecer e as coisas voltaram para o seu devido lugar. Pelo o menos eu espero que voltem!

MARIELA: Cê tá falando do Bartolo?

EMILIS: Não! Eu e ele não temos mais volta! Mas filho com outra mulher, isso eu não podia aceitar. E isso ele não vai ter! Tomara que ela perca. Se Deus for pai, com certeza ela vai perder esse feto!

MARIELA: (Horrorizada) Que absurdo isso! Como você pode falar uma coisa dessas, Emilis?! (T) Ah, eu te pedir tanto pra não falar nada, pra não agir por impulso... Mas foi inútil! A Darcy com certeza vai ligar os pontos e perceber que fui eu que te contei tudo. E aí a minha carreira, minha credibilidade vai para o espaço! Além da culpa que eu mesma sinto por ter feito algo antiético.

EMILIS: (Debochada) HAHAHA! Grande carreira! Ficar sentada ouvindo um monte de gente contando suas crises existenciais realmente precisa de muito esforço e dedicação.

MARIELA: (Balança a cabeça negativamente) Você tá cada vez pior! Não vou nem levar em consideração o que você tá falando. Tá de cabeça quente e nem pensando direito você tá.

EMILIS: (Grita) SAI DAQUI, MARIELA!

MARIELA: Quê?

EMILIS: ME DEIXA SOZINHA!

MARIELA: Você me liga desesperada mandando eu vim pra cá e agora me expulsa?

EMILIS: Cê já me encheu demais hoje! VAI EMBORA!

Em Emilis, visivelmente fora de si. CORTA PARA/

 

CENA 12. HOSPITAL. RECEPÇÃO. INT. DIA.

Pietro e Bartolo sentados. Horácio adentra o local.

HORÁCIO: (Aproximando-se) Meu amigo!

BARTOLO: (Levantando-se) Horácio!

Bartolo e Horácio se abraçam fortemente. O abraço termina.

HORÁCIO: Que situação, Bartolo! Acontecer uma coisa dessas...

BARTOLO: Eu nem sei o que pensar! É tanta coisa que passa pela minha cabeça, que eu nem sei mais.

HORÁCIO: Desculpa, mas se acontecer o pior/

BARTOLO: (CORTA) Não diz isso, Horácio!

HORÁCIO: Eu tenho que ser franco! E você, meu amigo, sabe que tudo pode acontecer. Por isso tem que tá preparado pra tudo.

BARTOLO: Eu não sei se eu tenho forças pra isso.

HORÁCIO: Tem sim! Na hora da dor a gente sempre encontra forças. E nós, seus amigos, sua família, estaremos aqui pra te ajudar e te fortalecer também.

BARTOLO: Muito obrigado, Horácio!

HORÁCIO: Mas se o pior acontecer, e ficar confirmado que a Emilis teve alguma parcela de culpa, alguma participação em tudo isso, ela precisará ser responsabilizada.

BARTOLO: Eu sei! Mas isso nós só iremos saber quando eu conseguir falar com a minha Darcy e ela me contar o que realmente aconteceu. Eu, infelizmente, não vi nada.

HORÁCIO: Ainda não deram nenhuma notícia sobre o estado da Darcy?

BARTOLO: Não! Eu aqui nessa aflição e o médico nada de aparecer. Eu não aguento mais esperar!

PIETRO: Calma, pai! Eles vão vim!

HORÁCIO: Eu vou ficar aqui com você.

BARTOLO: Eu não quero atrapalhar, Horácio.

HORÁCIO: Não vai atrapalhar nada. Eu tava em casa quando você me ligou. (T) Vamo comer alguma coisa, beber um café?

HORÁCIO: Cê fica aí e qualquer coisa vai me chamar, tá, Pietro?

PIETRO: Pode deixar, pai!

Bartolo e Horácio saem. Em Pietro, pensativo. CORTA PARA/

 

CENA 13. CASA DE BARTOLO. QUARTO DO CASAL. INT. DIA.

Emilis e Mariela frente a frente.

EMILIS: Não ouviu, não? (Grita) VAI EMBORA! SE MANDA!

MARIELA: Acho que você realmente não precisa de uma psicóloga. Seu caso é pra psiquiatra!

EMILIS: Tá me chamando do que mesmo?

MARIELA: Cê precisa tomar um remédio. Tá completamente transtornada. Não tá bem, não.

EMILIS; Qualquer pessoa que passou pelo que eu passei não estaria bem, Mariela. Mas eu vou ficar! Como eu sempre fico, aliás. Porque força pra isso, eu tenho!

MARIELA: Ótimo!

EMILIS: Agora, pelo o menos por hoje, sai e não me liga!

MARIELA: Vai ser bom mesmo você ficar sozinha. (T) Com licença, Emilis!

Mariela sai do local. Emilis fecha a mala de Bartolo.

EMILIS: (Pra si mesma) Pronto! Agora o Bartolo só vai vim buscar a mala e mais nada. Sou até boa em ter a arrumado. Ah, se eu pudesse, eu mesma me beijava!

Em Emilis, sorridente. CORTA PARA/

 

CENA 14. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

SONOPLASTIA: Apenas mais uma de amor – Lulu Santos.

Planos gerais de diferentes pontos turísticos da cidade. CORTA PARA/

 

CENA 15. APARTAMENTO DE VERIDIANA. SALA. INT. DIA.

SONOPLASTIA OFF. Djavan vem de dentro seguido por Veridiana.

VERIDIANA: Não vai, primo!

DJAVAN: Eu tenho que ir, Veridiana! Já te expliquei; ainda tenho algumas coisas pra acertar antes de ir pra Minas.

VERIDIANA: É que eu já tava tão acostumada... Bom, pelo o menos você deixou suas roupas no armário. Isso quer dizer que vai voltar!

DJAVAN: (Sorrindo) Ah, é claro! O lar da minha prima querida sempre foi um lugar onde me faz bem em estar. E por isso é lógico que eu sempre penso em voltar.

VERIDIANA; Ah que lindo! (Ri) Tudo bem, Djavan! Você já me convenceu e já me deixou derretida. Pode ir sem culpa!

DJAVAN: Obrigado!

VERIDIANA: Vou aproveitar e começar a acertar os últimos detalhes da coleção ainda hoje.

DJAVAN: Rumo ao sucesso!

Djavan beija Veridiana na testa.

DJAVAN: Tchau, minha prima!

VERIDIANA: Tchau, Djavan! E a qualquer novidade vai me mandando mensagem, viu?

DJAVAN: Pode deixar!

Djavan sai. Em Veridiana, sorridente. CORTA PARA/

 

CENA 16. APARTAMENTO DE IGOR E RAFAELA. QUARTO. INT. DIA.

Igor deitado na cama, de cueca. Rafaela sai do banheiro, só de toalha.

RAFAELA: Ai amor, eu tô nervosa, preocupada, tensa.

IGOR: Calma, Rafa! Relaxa!

RAFAELA: Com gente filmando, toda hora parando, eu não vou conseguir relaxar na hora da cena. Vou ficar tensa! Eu me conheço!

IGOR: (Levantando-se) Meu amor, vamos gravar apenas de madrugada. Não tem que ficar pensando desde agora, não. E também você vai tá comigo!

RAFAELA: Eu sei. E a vaca da Tetê Rameira também, né?! Ai, só de pensar que eu vou tá dividindo você a cama com aquela vagaba...

IGOR: (Aproximando-se) Pensa que é apenas um fetiche, uma coisa nova pra apimentar nossa relação. Porque se você ficar focando no intuito principal que é fazer sucesso pra ganharmos o dinheiro pra saldar a dívida, você não vai conseguir! Quanto mais naturalidade e espontaneidade você passar, melhor. Pra isso tem que esquecer tudo, encarar como um novo fetiche e pronto! (Começa a cheirá-la) Relaxa, tira a tensão...

RAFAELA: (Amolecida) Humm, safado! Você que tá adorando tudo isso, né?

IGOR: (Sensual) Eu? Eu não!

RAFAELA: Olha só a cara de sacana dele!

IGOR: E você gosta, né?

RAFAELA: (Arrepia) Pára, amor!

IGOR: (Morde a orelha) Diz que gosta, vai!

RAFAELA: Gosto, seu safado!

Igor aperta o rosto de Rafaela, beija e cospe em sua cara.

IGOR: Cachorra!

Igor puxa a toalha de Rafaela e a joga sobre a cama. Rafaela vira de costas. Igor senta-se sobre ela, segura forte em seu cabelo e a beija com ferocidade. CORTA PARA/

 

CENA 17. CASA DE GEORGE. QUARTO DE GEORGE. INT. DIA.

George e Alana sentados na cama. Alana com o celular em mãos.

GEORGE: Vai, Alana!

ALANA: Espera!

GEORGE: Aperta aí e liga pro Edson. Mas é chamada por voz!

ALANA: Tá.

GEORGE: Já sabe o que falar, né?

ALANA; Sim, George. Relaxa!

GEORGE: Então liga!

ALANA: Tá chamando. (T) Alô?

EDSON: (OFF) Meu amor?

ALANA: Oi, meu amor. E aí como é que você tá?

EDSON: (OFF) Nossa, Maria. Eu nem sei o que dizer!

ALANA: Por quê?

EDSON: (OFF) Sei lá. Tô emocionado aqui. Ouvir tua voz, conversar contigo, ver suas fotos... Tô me sentindo tão mais perto de você agora, amor.

ALANA: Eu também. E sua voz é linda!

EDSON: (OFF) HAHA! A minha você já tinha ouvindo. Agora a sua, desse jeito assim... Linda! Volta logo pro Rio pra a gente se encontrar logo.

ALANA: (Visivelmente nervosa) É, eu vou voltar logo! É que eu tô a trabalho e sempre vai surgindo coisas novas pra resolver... Cê sabe como é, né?!

EDSON: Sei sim. Mas pro seu rouquinho aqui vale a pena voltar logo, né?! A minha vontade de te vê, de te abraçar é tanta, amor. Sentir teu cheiro, teu carinho, teu cuidado... Você me faz tão bem, Maria. Eu te amo tanto!

ALANA: (Emocionada) Oh amor...

George começa a chorar.

ALANA: Amor? Amor?

GEORGE: (Baixo) Continua falando.

ALANA: Alô? Edson? (P/George) Acho que ele não tá me ouvindo.

GEORGE: Deixa eu vê!

George toma o celular da mão de Alana.

GEORGE: Droga!

ALANA: Que foi?

GEORGE: O celular travou todo aqui. É por isso que tu não tá ouvindo ele.

ALANA: Nossa! Então desliga logo!

GEORGE: Eu tô tentando. Mas tá travado. Não tá desligando.

ALANA: Ah, George. Eu não vou continuar com isso, não! Tá me fazendo mal! Ficar ouvindo essas coisas... Poxa, é difícil demais! Ele tá completamente apaixonado por essa garota que não sou eu e nem você. Ele tá amando uma menina que simplesmente não existe! Você acha que vai conseguir ficar levando isso até quando?

GEORGE: Eu não sei, Alana. Eu não sei! Eu só sei que ele me faz bem e eu sei que eu faço bem a ele também. Só eu e ele sabemos o que conversamos, como é bom, como nos divertimos.

ALANA: Mas é tudo mentira!

GEORGE: Não é bem assim, Alana.

ALANA: Você não se sente mal ouvindo tudo isso?

GEORGE: É claro que sim!

ALANA: Então faz alguma coisa, George!

GEORGE: Não dá pra eu recuar agora. Se eu inventar alguma coisa, se eu colocar a Maria pra terminar com ele, eu vou tá trazendo a infelicidade novamente pra vida do Edson. Eu não quero isso! A Maria coloriu a vida dele, Alana. Eu sei que isso é uma coisa boa. Se ele se decepcionar com ela, tudo vai ficar cinza de novo e ele pode até fazer alguma besteira com ele mesmo.

George joga o celular sobre a cama.

GEORGE: Apesar de toda a aparência do Edson, ele é muito frágil. Apesar de eu não ser a Maria, eu o amo como ela! Eu amo o Edson demais, Alana. (Segura o choro) Demais!

George emocionado. Alana visivelmente comovida. No celular, jogado sobre a cama. INTERCALA COM/

 

CENA 18. CASA DE EDSON. QUARTO DE EDSON. INT. DIA.

SONOPLASTIA: INSTRUMENTAL – TRISTEZA.

Edson com o celular ao ouvindo, chorando. Ele solta o celular, que cai no chão. Edson começa a passar unha com força sobre seus braços e o choro vai aumentando gradativamente. Clima melancólico, muita emoção. CORTA RÁPIDO PARA/

 

CENA 19. CASA DE GEORGE. FACHADA. EXT. DIA.

SONOPLASTIA CONTINUA. Edson aperta a campainha disparadamente. George e Alana veem de dentro.

GEORGE: (Assustado) Edson!

EDSON: (Descontrolado) Desgraçado!

GEORGE: Como assim? O que foi, cara?

ALANA: Ai meu Deus! Ele deve ter ouvido tudo, George!

EDSON: (Chorando) Como é que você pôde fazer isso comigo, seu filho da puta?! Você não vale nada! É um verme! (Grita) VEEEERME!

GEORGE: Calma, Edson! Não fica assim e não fica nervoso. Eu vou te explicar tudo! Cê vai entender!

EDSON: Abre esse portão, abre! Abre a porra desse portão se você tem coragem! Fala aqui, frente a frente. Mostra quem tu é uma vez na vida e se assume. FALA!

Clima tenso. Edson completamente transtornado. George trêmulo. Alana amedrontada. Em Edson, encarando George com sangue nos olhos. CORTA PARA/

 

FIM DO CAPÍTULO!

 

Créditos sobem ao som de: INSTRUMENTAL – TRISTEZA.

 

 

 

 

 

ATENÇÃO LEITORES

Esta postagem foi feita em arquivo PDF para preservar a formatação escolhida pelo autor da obra. A rede MEGAPRO adota esse comportamento visando que nossa equipe de autores possam se sintam à vontade sempre e desfrute da melhor experiência