16
NOTÍCIAS
FIQUE POR DENTRO

Uma catarse: May Margret faz balanço de Entre nós

Autora participou de rápido bate-papo ao jornalismo do Megapro

— Postado pela Redação
Segunda, 30 de Nov/-1

 

Chegando à sua penúltima semana, a novela literária Entre nós, escrita pela talentosa Margret, deu o que falar no MV. Com um enredo simples e cheio de detalhes, vem tendo um bom saldo, tanto pela crítica quanto pelo público.

A autora conversou com a equipe de jornalismo do Megapro para falar sobre a novela, que chega ao fim no próximo dia 30, totalizando 20 capítulos. .

 

Daniel esteve depressivo e saiu da depressão graças ao amigo, Alex. Daniel voltou ao normal com o que sempre fazia. Como foi abordar o sentimento de solidão ou depressão que é tão comum entre os jovens?

É um sentimento comum ao ser humano. De qualquer idade. Falei do que vivo e observo. A nossa geração é uma geração muito solitária. Vivemos cercados de espinhos.

 

Na trama são abordados temas como drogas, sexo e Aids. Tudo nos anos 90. Você, May, acreditada que esses temas são importantes para serem debatidos em tramas do MV?

Em qualquer lugar. As pessoas ainda pegam AIDS. Não morrem tão facilmente, mas ainda é uma quantidade muito significativa de infectados.

Drogas, não preciso dizer a ilusão que é. O quanto destrói tudo e todos à sua volta.

E o sexo, estamos vivendo tempos medievais. De preconceitos que não deveriam mais existir,  porém estão firmes e fortes por aí. Preconceitos que matam.

 

A trilha sonora é de um rico primor, na qual você mistura diversos gêneros como musicais como o Rock nacional. Como é o trabalho da escolha das trilhas nos capítulos?

São bandas que eu amo e fazem parte da minha vida, desde a infância. Como dizia o filósofo, sem música, a vida seria um erro. Eu acredito nisso. Não foi difícil. So deixei elas me levarem.

 

A homossexualidade ou a questão de se aceitar como realmente é está presente na sociedade e na trama  não é diferente. Você acredita que o indivíduo deve sempre mostrar o que deseja?

Sim, eu acredito. Todos nós temos o direito de tentar ser felizes da maneira que mais nos toca o coração. Reprimir isso por medo do que os outros vão pensar, por causa de julgamentos hipócritas, é um absurdo inaceitável. Já  é tão difícil viver.

 

Já se aproximando do final, a trama vai deixar um saldo muito positivo. Qual a maior lição que você tirou de Entre nós?

Foi incrível, uma catarse. Lembrei da minha própria adolescência. Foi realmente muito significativo. E fico muito feliz sabendo que as pessoas gostaram do texto e se identificaram com ele. Obrigada.



Os capítulos de Entre nós vão ao ar sempre às terças e quintas-feiras, às 19h.