Mega Awards

EDIÇÃO 04

BLOCO 4

As últimas seis categorias do Mega Awards 2020: Versão técnica são divulgadas! Neste bloco, as produções do ano e o melhor roteiro.

CATEGORIAS INTERNAS:

Novela:

Indicadas:

Amada Família

Caros Amigos Ricos

Heroína

Meu Mundo Caiu

 

Votos:

JP RITTER - Amada Família: penso em Amada Família como uma novela, como um folhetim moderno, vou colocar dessa forma. As demais obras são ótimas também, mas Amada Família tem uma coisa que não sei dizer.

JOÃO CARVALHO - Heroína: Na qualidade de crítico, analisei todas as novelas, que, por sinal, já haviam sido lidas por mim em outra ocasião. Utilizando a mesma coerência técnica resta comprovado que de todas as produções apresentadas, Heroína foi a que melhor flertou com o desenvolvimento, a coerência e os conceitos de roteiro. Portanto, é nela que voto.

MELQUI RODRIGUES - Heroína: Temos aqui 5 novelas de alto padrão de qualidade que facilmente podem um dia serem produzidas por uma Rede Globo da vida, gostei muito da vibe de Caros Amigos Ricos, lembra muito algumas novelas que eu assisti como Primeiro Amor a mil por hora no Sbt e até mesmo Amigas e Rivais, também gostei muito da proposta de Corrente Sanguínea, mas meu voto vai com certeza pra Heroína. Eu fiquei encantado com toda a jornada da Maria Aparecida, foi como se eu tivesse “comprado” a luta dela e a novela traz uma mensagem muito forte pra nós, então meu voto vai pra ela.

WESLEY ALCÂNTARA - Heroína: Todo o conjunto de fatores que compõem a trama é espetacular: o roteiro, seleção de atores, o texto, as cenas. Arrisco aqui dizer que o tema das drogas e suas consequências: físicas e psíquicas, nunca foi tão bem explorado. É uma novela ágil, madura e responsável no tratamento de seus assuntos. Weslley e Maria Fernanda estão de parabéns.

MARCELO DELPKIN - Amada Família: Meu Mundo Caiu foi talvez a melhor novela do João Paulo Ritter até hoje. Heroína também tem uma história muito envolvente. Caros Amigos Ricos estreou com tudo e focou, logo de cara, no delicado tema das desigualdades sociais e nos preconceitos decorrentes delas. Todas mereceriam o voto, mas a obra que mais se destacou em 2020, pra mim, foi Amada Família e seus três jovens protagonistas em meio a um acidente de trânsito que mudaria a vida de suas famílias para sempre.

RENNAN LOPES - Heroína: 2020 foi um ano de excelentes novelas no Megapro. Os autores se empenharam e conseguiram nos entregar histórias de encher os olhos. Dentre elas, destaco minhas favoritas: Caros Amigos Ricos, de Vitor Abou, e Heroína, de Weslley Vitoritti. Mas, como preciso escolher apenas uma para dar o prêmio, fico com aquela que veio com uma proposta nova, com a ousadia inerente a grandes artistas. Com Heroína, Weslley nos entregou um novo conceito de novela. Acompanhar a trágica trajetória de Maria Aparecida foi um deleite. Heroína foi a novela do ano.

VENCEDORA:  Heroína, de Weslley Vitoritti (4)

 

Série ou minissérie:

Indicadas:

Defesa Possível

Eterno enquanto dure

Marília

Pandorum

 

Votos:

JP RITTER - Eterno enquanto dure: com certeza merece meu voto pela ideia, pelo texto e pelos seus personagens.

JOÃO CARVALHO - Pandorum: Escolha completamente difícil. Vou desempatar na originalidade. Para mim, Pandorum é original e ao mesmo tempo recicla nossa dramaturgia da melhor maneira possível. As outras produções são ótimas, mas prefiro desempatar através da originalidade.

MELQUI RODRIGUES - Pandorum: Bom, meu voto vai pra Pandorum, pois gostei muito da produção, esse viés distópico e apocalíptico me prendeu de uma forma que eu não esperava, então meu voto vai para “Pandorum”.

WESLEY ALCÂNTARA - Eterno enquanto dure: Acompanho o João Carvalho há mais de sete anos em suas produções e vejo um amadurecimento incrível. Essa minissérie coroa muito bem o seu aprendizado e domínio de temas espinhosos e roteiro ousado. Ir e voltar no tempo sem fazer o leitor ficar confuso foi o grande trunfo dele, que entre tantas outras qualidades, soube montar uma história recheada de boas histórias. Viva João!

MARCELO DELPKIN - Eterno enquanto dure: O voto vai para Eterno Enquanto Dure, pra mim a obra com o argumento mais chamativo e com a sensação de querer ler os próximos capítulos. Defesa Possível também se destacou em 2020.

RENNAN LOPES - Marília: Em um ano tão difícil, com tragédias acontecendo todos os dias, nada como um momento de fuga da realidade para se distrair. Esse papel de alívio da tensão cotidiana foi muito bem cumprido por Marília, um projeto pra cima, bem humorado, que nos apresentou mulheres diferentes que podem ser encontradas nas músicas da diva Marília Mendonça. Uma delícia de leitura que merece o prêmio de melhor série!

VENCEDORA: Eterno enquanto dure, de João Carvalho (3)

 

Fanfic:

Indicadas:

Diário de uma Poc 4

João e Maria

Rebelde Way

 

Votos:

JP RITTER - Diário de uma poc 4: acontece que, a primeira vez que li, na primeira linha, amei.

JOÃO CARVALHO - Diário de uma poc 4: A fanfic que mais me fez rir de todas foi Diário de Uma Poc. Me divertiu muito e por isso é o meu voto.

MELQUI RODRIGUES - Rebelde Way: Não dá pra negar, mas Rebelde Way é sem sombra de dúvidas a minha favorita, talvez por me causar essa nostalgia da novela Rebelde, mas também por ser uma leitura gostosa que eu navego sem me preocupar com nada, então meu voto com certeza vai pra ela.

WESLEY ALCÂNTARA - João e Maria: Acredito que mesclar roteiro com literário não seja um bom caminho, e teve uma obra que o fez. Acho que cada estilo é único e ficar no meio do caminho pode confundir, ou então, frustrar o leitor, como aconteceu comigo. Escolhi João e Maria por três coisas: Um bom literário, com excelente português; uma trama bastante atraente e que prendeu minha atenção durante todo o tempo; e para finalizar, a fluidez de diálogos. Foi maravilhoso!

MARCELO DELPKIN - Rebelde Way: As fanfics estão com tudo no MV e só tendem a manter a tradição de boas adaptações, como as três citadas — e outras nem tanto. Enfim, a que me chamou mais a atenção pelo todo foi Rebelde Way. Dá vontade de ver no SBT ou numa plataforma de streaming. Muito boa.

RENNAN LOPES - Diário de uma poc 4: As fanfics têm o objetivo original de criar histórias fictícias para personalidades da vida real, como cantores, atores, etc. É um universo paralelo sendo criado. No entanto, dentre as indicadas desse ano, destaco justamente aquela que não apresenta nenhum ídolo da massa, mas cumpre bem a função de fuga da realidade. Com Diário de uma Poc, podemos ligar o botão do f*da-se para a realidade e apenas nos divertir com as aventuras de Raí, que de tão sem pé nem cabeça, acabam servindo como alívio cômico para a lógica à qual somos submetidos todos os dias. Meu voto é da poc!

VENCEDORA: Diário de uma poc 4, de Rosemery Castanhary (3)

 

Obra literária:

Indicadas:

Encontros e Desencontros

Quase Nós

Transbordos

 

Votos:

JP RITTER - Encontros e Desencontros: eu gosto muito do conceito da obra de querer contemplar, como diz na sinopse, os gêneros e as emoções.

JOÃO CARVALHO - Quase Nós: Quase Nós nos trouxe uma visão ainda mais panorâmica da incrível Entre Nós. O texto da autora é incrível e por isto é o meu voto.

MELQUI RODRIGUES - Quase Nós: Com certeza meu voto vai para “Quase Nós”, achei uma história muito profunda e poética, então esse será meu voto.

WESLEY ALCÂNTARA - Encontros e Desencontros: A fluidez dos capítulos, uma história que mexe com nosso psicológico e nos faz maratonar, além do português correto. Todo esse conjunto de fatores me fez escolher essa obra e dizer o quanto sua proposta é ousada e madura. Um biscoito fino!

MARCELO DELPKIN - Encontros e Desencontros: Encontros e Desencontros mora no coração, então escolho essa. Contos muito inspirados da autora. Quase Nós e Transbordos também capricharam nas emoções que transmitiram do começo ao fim.

RENNAN LOPES - Quase Nós: “Entre Nós” já havia sido um grande sucesso em 2019 (e com razão). Este ano, Maria Fernanda nos trouxe o spin-off dessa história fascinante e conseguiu, mais uma vez, nos emocionar, agora com a história de Alex e Daniel, amigos que descobrem um no outro um sentimento mais forte do que imaginavam. Obra fantástica e merecedora do prêmio!

VENCEDORAS: Quase Nós (3) e Encontros e Desencontros (3), ambas de Maria Fernanda

 

Programa ou jornalístico:

Indicados:

Leitura Pop Live

Raça 3

 

Votos:

JP RITTER - Leitura Pop Live: eu acho a ideia maravilhosa para o MV, falou de assuntos bons e trouxe discussões legais. Coisas que outros programas, apesar de serem legais também, não fazem.

JOÃO CARVALHO - Raça 3: Meu voto vai no Raça 3. Acredito no formato do programa e creio que esta tenha sido sua melhor temporada. Os participantes eram reais, com conflitos reais e com muita capacidade criativa. Fechou com chave de ouro com a campeã que teve e, sem sombra de dúvidas, se destacou em meio a um ano com pouco entretenimento.

MELQUI RODRIGUES - Leitura Pop Live: Apesar de eu reconhecer todo o sucesso e a repercussão que o Raça 3 teve esse ano, meu voto vai para o Leitura Pop Live, gosto muito da dinâmica do programa, então meu voto vai pra ele.

WESLEY ALCÂNTARA - Leitura Pop Live: Trouxe um respiro ao jornalismo do Mundo Virtual, em que se prezou sempre pela escrita, agora é o famoso “cara a cara”, com lives cheias de conteúdo e debates concisos. Tudo flui muito bem, parabéns aos idealizadores.

MARCELO DELPKIN - Raça 3: Desde a segunda edição, o Raça vem evoluindo como reality show, e isso é visível na proposta e na qualidade das provas. Há barracos e picuinhas geradas por um participante ou outro, mas não afeta o rendimento da atração. Leitura Pop Live também teve uma ótima temporada em 2020 no que se refere à apreciação da literatura em geral (editorial, MV, Wattpad etc.), e promete render ainda mais em 2021. Meu voto vai para o Raça 3.

RENNAN LOPES - Leitura Pop Live: Um programa alegre, cativante e carismático que fala sobre o ponto fundamental para qualquer pessoa que deseja entrar na carreira de escritor: leitura. Esse é o Leitura Pop Live, um programa que conseguia falar de clássicos da literatura a novelas de humor pastelão, sempre com uma linguagem acessível, engraçada, que ria de si mesma, não tinha medo de mostrar os erros durante a gravação... Com certeza, merecidíssimo o prêmio de melhor programa.

VENCEDOR: Leitura Pop Live (4), com João Carvalho e Vitor Abou

 

Melhor roteiro:

Indicados:

Caros Amigos Ricos

Eterno Enquanto Dure

Heroína

Meu Mundo Caiu

 

Votos:

JP RITTER - Heroína: a construção de roteiro de Heroína me chama muita atenção pelo trabalho do autor, por esse motivo ganha meu voto.

JOÃO CARVALHO - Heroína: É uma categoria muito importante e é preciso observar isso. Justamente porque é preciso enxergar o todo. Ver como as produções estão sendo conduzidas, produzidas e se estão de acordo com o gênero. Dentre todas, Heroína se superou e superou também todas as expectativas. Este é meu voto.

MELQUI RODRIGUES - Heroína: Não tenho nem como fazer rodeios, com certeza meu voto vai pra “Heroína”, o Weslley soube fazer um trabalho extremamente exemplar aqui.

WESLEY ALCÂNTARA - Heroína: Weslley sabe conduzir um roteiro como ninguém. Aqui, acho que os quatro estão num nível muito bom, mas o roteiro de Heroína é mais fluido e até moderno.

MARCELO DELPKIN - Heroína: Todas as candidatas foram elaboradas em cima de roteiros milimetricamente organizados e construídos por autores já experientes. Todas mostraram eficiência textual e dramatúrgica, sem rodeios nem excessos, mas a que mais se destacou foi Heroína.

RENNAN LOPES - Heroína: Roteiro é um gênero perigoso. Sua estrutura é fixa, não abre espaço, então o autor precisa se virar para fazê-lo ser atraente e fluido. Os indicados conseguiram com maestria fazer isso, atraindo grande audiência, mas o destaque vai para Heroína pela ousadia em muitas sequências, marcando uma nova era nos roteiros virtuais. Para ela vai o meu voto!

VENCEDOR: Heroína, de Weslley Vitoritti (6)