Mega Awards

EDIÇÃO 02

BLOCO 2

Mais seis categorias do Mega Awards 2020: Versão técnica são reveladas! Neste bloco, os roteiros externos, o personagem do ano externo e as novelas do Megapro.

CATEGORIAS EXTERNAS

Obra em roteiro:

Indicados:

Cruel Summer (Maureen Prescott - webtvplay)

Escândalo (Marcelo Delpkin - CyberTV) 

Motivos para continuar vivendo (Everton Brito - WebTV)

Novembro (João Carvalho - OnTV)

Segunda Família (Glaydson Silva - OnTV)

 

Votos:

JP RITTER - Segunda Família (Glaydson Silva - OnTV): Meu voto vai para Segunda Família do Glaydson Silva porque além da representação de um estado do Brasil que vemos pouco na televisão, Segunda Família também pode ser lida como uma espécie de ensaio sobre a relação dos jovens com sua família e com seu grupo de amigos. É uma história cheia de entrelinhas.

JOÃO CARVALHO - Cruel Summer (Jota Pê - webtvplay): É uma categoria muito importante e precisei analisar os elementos técnicos que compõem um roteiro para chegar a uma conclusão. Sim, levei em conta a formatação porque faz parte da avaliação de um roteiro e de quanto ele te incentiva a continuar lendo. Dentre todas essas produções, Cruel Summer foi a que melhor apresentou todos os elementos do roteiro – coesão, coerência, cabeçalho, arco narrativo e os paradigmas em geral. Destaco ainda que, embora sejam boas produções, as outras que me sobraram para avaliar não atingiram tantos pontos positivos quanto a obra de Jota Pê. 

MELQUI - Cruel Summer (Jota Pê - webtvplay): É indiscutível o trabalho de Maureen Prescott (Jota Pê) como roteirista, desde Urban Legend e entre outros eu fico fascinado com a qualidade técnica que tem. Cruel Summer possui um roteiro impecável, por tanto meu voto vai pra ele.

WESLEY ALCÂNTARA: Cruel Summer (Jota Pê - webtvplay): Apesar do clichê idealizado americano e de já ter visto histórias muito semelhantes em diversos filmes do gênero drama/suspense/terror hollywoodano, o roteiro da série se sobressai as demais e é um ponto que pesa demais no momento de acompanhar ou não uma história. A trama tem seus ápices de suspenses bem pontuados e um roteiro com excelente escrita e apuro estético.

MARCELO DELPKIN - Segunda Família (Glaydson Silva - OnTV): Era uma vez a história de dois rapazes com o mesmo nome e com vidas em comum. Reviravoltas e ganchos a cada capítulo de um jeito que Glaydson Silva faz muito bem — A Invasão serve de exemplo. Voto em Segunda Família.

RENNAN LOPES - Novembro (João Carvalho - OnTV): A preocupação com o roteiro sempre foi uma questão altamente debatida no Mundo Virtual; entretanto, há pouco tempo o verdadeiro roteiro vem sendo descoberto pelos nossos autores. Aquele roteiro trabalhado, construído após décadas de estudos e pesquisas no campo audiovisual, sem achismos, e sim com uma estrutura bem definida. Nesse quesito, Cruel Summers e Novembro se destacam: trazem roteiros bem feitos e formatados, no padrão universal, em um documento separado (e não colocado na própria página da web). Para fazer esse desempate, levei em consideração outro ponto muito importante na construção do roteiro: a naturalidade. A arte de roteirizar pode ser enxergada quando o escritor precisa deixar natural uma estrutura textual altamente engessada, com limitações formais. Sendo assim, o roteirista deve se ater a bons diálogos, boas rubricas e organicidade na forma de falar com o leitor. Sendo assim, acredito que Novembro é a grande merecedora do prêmio.

VENCEDOR: Cruel Summer, de Maureen Prescott, na webtvplay (3)

 

Autor de roteiro:

Indicados:

Everton Brito (Motivos para continuar vivendo - WebTV)

Glaydson Silva (Segunda Família - OnTV)

João Carvalho (Novembro - OnTV)

Maureen Prescott (Cruel Summer - webtvplay)

Marcelo Delpkin (Escândalo - CyberTV)

 

Votos:

JP RITTER - João Carvalho (Novembro - OnTV): Dessa vez meu voto vai para o João Carvalho por Novembro mais pela ideia da trama, trazer esse gênero de suspense tradicional de uma Agatha Christie para o calor brasileiro foi um grande pensamento.

JOÃO CARVALHO - Jota Pê (Cruel Summer - webtvplay): Seguindo a coerência do voto em Cruel Summer, sigo votando em seu autor. Para chegar ao resultado final da produção foi preciso compreender o roteiro e, assim, evitar seus vícios. Desta forma, embora não ache a história a mais original da categoria Obra em roteiro, Cruel foi a que melhor concretizou os elementos preconizados por Syd Field, Joseph Campbell, dentre outros. Meu voto é em Jota Pê.

MELQUI RODRIGUES - Jota Pê (Cruel Summer - webtvplay): Admiro e sempre vou admirar o Marcelo Delpkin pela sua ótima escrita em roteiro com suas novelas, mas meu voto vai para o Jota Pê, este homem precisa ser contratado pela Netflix urgentemente, escreve como um verdadeiro profissional da área, acredito que o MV ficará pequeno pra ele.

WESLEY ALCÂNTARA - João Carvalho (Novembro - OnTV): Sua habilidade com roteiros fluídos e de fácil assimilação se destacam, além de conseguir conduzir a história com grande maestria. 

MARCELO DELPKIN - Glaydson Silva (Segunda Família - OnTV): João Carvalho teve um ótimo desempenho em Novembro e também em Eterno Enquanto Dure (esta da Megapro), mas 2020 foi o ano do Glaydson Silva.

RENNAN LOPES - João Carvalho (Novembro - OnTV): Há um bom tempo João Carvalho vem mostrando muita preocupação em se especializar na arte de escrever. Com isso, João vem nos entregando produções bem trabalhadas e que seguem o padrão de roteiro privilegiado mundialmente. Por isso, voto nele para vencer essa categoria.

VENCEDOR: João Carvalho, por Novembro, na OnTV (3)

 

Personagem do ano:

Indicados:

Catherine (Flor-de-Cera, WebTV)

Jurema (A candidata - CyberTV)

Mário (Segunda Família - OnTV)

Sandra (Poeiras Estelares - OnTV)

Eleanor (Cruel Summer - webtvplay)

 

Votos:

JP RITTER - Mário (Segunda Família - OnTV): meu voto vai para esse personagem pela carga que ele trouxe para a história de outro personagem.

JOÃO CARVALHO - Sandra (Poeiras Estelares - OnTV): Sandra sem sombra de dúvidas foi uma das grandes personagens do ano em uma história fortíssima como Poeiras Estelares. O autor conseguiu criar uma vilã forte, com traços de psicopatia. Acredito que dentre estas personagens, Sandra se destacou mais.

MELQUI - Jurema (A candidata - CyberTV): Bom, aqui com certeza meu voto vai para a Jurema de “A Candidata” por ela ser uma personagem tão forte lutando por questões políticas e limpando a sujeira da cidade, ela é uma verdadeira heroína e meu voto vai pra ela.

WESLEY ALCÂNTARA: Jurema (A candidata - CyberTV): Mulheres fortes sempre me conquistam e, nesse quesito, Jurema foi a qual mais me afeiçoei.

MARCELO DELPKIN - Jurema (A candidata - CyberTV): A trajetória da Jurema foi a que mais me instigou a atenção e as emoções ao ler A Candidata. Catherine com seu jeitinho meio Capitu também rendeu ótimas sequências em Flor-de-Cera,mas Jurema leva por um toque a mais no desenvolvimento.

RENNAN LOPES - Mário (Segunda Família - OnTV): A trajetória de um vilão é, com certeza, uma das partes mais interessantes de uma boa novela. Acompanhar seu crescimento dramatúrgico, a grande bola de neve formada pelas motivações tortas desses personagens, é um grande prazer quando esse desenvolvimento é bem feito. Esse é o caso de Mário, de Segunda Família, que foi um personagem forte e marcante do início ao fim da novela – terminando, inclusive, num final inesperado e bem feito ao lado do parceiro de maldades Robson.

VENCEDORA: Jurema, de A Candidata, na CyberTV (3)

 

CATEGORIAS INTERNAS:

Protagonista masculino de novela:

Indicados:

Adolfo (Amada Família)

Fabrício (Caros Amigos Ricos)

Maurício (Meu Mundo Caiu)

Nat (Heroína) 

 

Votos:

JP RITTER - Adolfo (Amada Família): meu voto vai para esse personagem pela construção que o autor deu a ele.

JOÃO CARVALHO - Fabrício (Caros Amigos Ricos): Protagonista deve ser aquele que ecoa na mente do público enquanto a produção está no ar e depois dela. Neste caso, não poderia dar um voto diferente se não em Fabrício de Caros Amigos Ricos. Sua construção foi incrível e alcançou justamente a popularidade que o autor desejava. Embora no início possuísse ares de vilão, aos poucos conseguiu convencer o público e se redimir. Não há nada mais digno do que isso. No mais, todos os outros concorrentes são de capacidade técnica invejável, mas dentre todos, para mim, se destaca Fabrício.

MELQUI RODRIGUES - Fabrício (Caros Amigos Ricos): A princípio eu votaria facilmente no Nat, mas teve um personagem aqui que realmente me conquistou que foi o Fabrício de Caros Amigos Ricos, eu consegui ter uma empatia muito grande pelo personagem logo no início, então meu voto vai pra ele.

WESLEY ALCÂNTARA - Fabrício (Caros Amigos Ricos): Para mim, os protagonistas são sempre os mais difíceis de uma trama, que geralmente são calcadas nas mulheres e seus dramas. Mas o Fabrício é uma personagem que muito me agrada, tem destaque, é bem escrito e não está orbitando à sombra da trama principal, leva consigo as ações. 

MARCELO DELPKIN - Adolfo (Amada Família): Adolfo me conquistou ainda durante as chamadas de Amada Família. A torcida só aumentou ainda mais no decorrer dos capítulos. A luta de Maurício para se reerguer da desilusão amorosa também me rendeu bons momentos, mas meu voto vai para o Adolfo.

RENNAN LOPES - Fabrício (Caros Amigos Ricos): Que “Caros Amigos Ricos” foi uma delícia de novela, não há dúvidas, principalmente por sua leveza, proporcionada por personagens jovens e carismáticos. Dentre esses personagens, é impossível não se apaixonar por Fabrício, que começou a novela como um playboy irresponsável e galinha, e o povo pôde acompanhar sua evolução pessoal ao se interessar por Duda – outra personagem fantástica. Em 2020, adoramos conhecer o Fabrício de Vitor Abou.

VENCEDOR: Fabrício, de Caros Amigos Ricos (4)

 

Protagonista feminina de novela:

Indicados:

Amanda (Amada Família)

Elisa (Corrente Sanguínea)

Maria Aparecida (Heroína)

Penélope (Meu Mundo Caiu)

 

Votos:

JP RITTER - Maria Aparecida (Heroína): dedico meu voto a essa personagem porque simpatizo muito com o arco dramático dela.

JOÃO CARVALHO - Maria Aparecida (Heroína): A categoria mais fácil para mim até então. Todas as personagens marcaram 2020. Amanda é maravilhosa. Penélope roubou a cena. E Elisa é simplesmente a protagonista da novela de maior sucesso da história do Megapro. Entretanto, quem deu o nome e fez acontecer neste ano foi Maria Aparecida em Heroína. Uma saga incrível, surpreendente, com uma personagem que nos fez sair do amor ao ódio algumas vezes. Portanto, meu voto é em Maria Aparecida.

MELQUI RODRIGUES - Maria Aparecida (Heroína): Aqui eu falo sem titubear, com certeza vai pra Maria Aparecida, essa mulher é uma verdadeira guerreira, e uma das mais fortes protagonistas que já vi no MV.

WESLEY ALCÂNTARA - Maria Aparecida (Heroína): O drama da personagem não deixa margem para que ela seja naufragada por qualquer coadjuvante. É única e absoluta em TODOS os capítulos. É forte e sensível; controversa e linear; enfim, a Maria Aparecida é gigante e carrega consigo a trama de forma incrível.

MARCELO DELPKIN - Maria Aparecida (Heroína): A trajetória comovente da Maria Aparecida em meio à vida de autodestruição e de redenção em meio à sarjeta é tão bem traçada pelo autor, que meu voto vai pra ela. Uma cena mais impactante que a outra. Menção honrosa para a Elisa.

RENNAN LOPES - Maria Aparecida (Heroína): Esse prêmio não poderia ser de outra personagem. Conhecemos três fases de uma viciada em heroína, conhecemos suas limitações, seus erros, acertos, arrependimentos, em vários contextos históricos. Uma personagem dúbia, que nunca foi uma mocinha, mas também nunca será vilã. Maria Aparecida é como se fosse nossa vizinha; é tátil, podemos ver suas camadas, não é uma coisa só. O mérito de Weslley Vitoritti deve ser reconhecido por ter escrito uma personagem tão bem desenvolvida.

VENCEDORA: Maria Aparecida, de Heroína (6)

 

Vilã ou vilão de novela:

Indicados:

Catarina (Meu Mundo Caiu)

Osmar (Caros Amigos Ricos)

Safira (Corrente Sanguínea)

Vanessa (Amada Família)

 

Votos:

JP RITTER - Safira (Corrente Sanguínea): meu voto vai para essa personagem por causa da sua força como personagem.

JOÃO CARVALHO - Osmar (Caros Amigos Ricos): Categoria muito difícil. São vilões incríveis e com os pés calçados no melodrama tradicional. Não há nada de novo nos vilões elencados acima. Entretanto, pela carga dramática, poder de persuasão e pelo ótimo texto. Sim, prezo também pelo diálogo do personagem. Meu voto é em Osmar de Caros Amigos Ricos.

MELQUI RODRIGUES - Safira (Corrente Sanguínea): Nossa, mas sem sombra de dúvidas a Safira. Essa mulher não é apenas uma prostituta, e sim uma oportunista nata, meu voto vai pra ela.

WESLEY ALCÂNTARA - Vanessa (Amada Família): A personagem é intragável, alguém que a gente quer bem longe. Além do mais, o vilão tem por princípio, movimentar a história e a Vanessa faz isso com maestria.

MARCELO DELPKIN - Vanessa (Amada Família): Osmar me rendeu muitos ataques de raiva, mas a maneira com que a Vanessa rejeita o próprio filho homoafetivo e o sofrimento que ela passa com a realidade dura das escolas públicas a tornam uma vilã humana e completa.

RENNAN LOPES - Osmar (Caros Amigos Ricos): Um ponto muito favorável em relação a vilões de novelas leves é que o clima alto astral da trama penetra no vilão. É o caso do Osmar de Caros Amigos Ricos, um homem amargo, capaz de muitas maldades para preservar o império conquistado pelo sucesso de sua rede de restaurantes. Apesar disso, o magnata conseguiu conquistar o leitor, que torcia para ele se ferrar, mas que isso só acontecesse mesmo no final, para termos mais um gostinho das ótimas cenas de Osmar Monteiro. Vilão do ano!

VENCEDORES: Vanessa, de Amada Família (2), Safira, de Corrente Sanguínea (2) e Osmar, de Caros Amigos Ricos (2)