!
Nosso site está em sua versão beta, em poucos dias poderá usufruir dele 100% completo! Fique Ligado!!!

25 | VIGÉSIMO QUINTO CAPÍTULO

ESTRELA CADENTE


SOBRE O CAPÍTULO

Jader resolve se demitir da Scar

 

TV NOVELAS                                                                2017

 ESTRELA CADENTE

CAPÍTULO 25

 

Novela de

Lucas Oliveira

 

 Direção

Vitor Abou

 

Direção Artística

Vitor Abou

 

CENA 01. EDIFÍCIO LORES. APARTAMENTO 200. SALA. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior.

Greg sentado no sofá. Ouve-se a porta se abrindo. Simone adentra o local, cheia de sacolas.

SIMONE: (Animada) Boa noite, meu amor! Hoje o dia foi longo, mas deu tudo certo! (Colocando as sacolas sobre o sofá) Eu espero que a diarista tenha vindo hoje e já tenha deixado uma janta pronta. Eu fiquei a tarde toda no shopping. Mas por favor, Gêl, não me censura. Foi como uma comemoração. Sabe por quê?! Porque eu fui contratada por um escritório de advocacia, amor. Aquele do Dr. Mauro Moraes. Não é maravilhoso?!

GREG: (Desanimado) Que legal! Eu sabia que você iria conseguir. E sim, a diarista veio e já deixou tudo pronto sim.

SIMONE: (Muda o semblante) O que foi,Gêl? Porque todo esse desanimo?

GREG: (Sério) Simone, a gente precisa ter uma conversa séria.

Simone senta-se rapidamente ao lado de Greg.

SIMONE: (Apreensiva) Ah, meu Deus! Fala logo o que aconteceu, Gêl. Não me deixa nervosa. Você sabe que eu não gosto disso.

GREG: Calma! (T) O dia também foi longo pra mim e tenso, cheio de surpresa, de revelações, de descobertas que até agora eu tô digerindo.

SIMONE: (Assustada) Fala,Gêl!

GREG: (Encarando-a) Simone, sabe o Rafa, né?!

SIMONE: Sim, claro. O que tem ele?

GREG: Então... (Respira fundo) O Rafael, ele é meu filho. Eu sou o pai biológico do Rafael, Simone!

Reação de Simone, confusa. Greg firme. Clima tenso.

SIMONE: Como assim pai do Rafael? Ele não é apenas seu aluno?

GREG: Eu sempre o tive como muito mais que isso, muito mais que amigo. Te falava da coisa paternal que ele me passava e agora eu entendo o porque.

SIMONE: (Levanta-se) Você quer tirar uma com minha cara, é isso? Que brincadeira mais idiota é essa, Gregório?

GREG: Não é brincadeira nenhuma! Você acha mesmo que eu iria brincar com uma coisa dessas?!

SIMONE: (Nervosa) Mas é porque isso não faz sentindo, é uma maluquice. Como você pode ser o pai do Rafael? Me diz, como?

GREG: Calma, Simone. Eu vou te explicar tudo! Senta aqui que eu vou te contar tudo com calma.

Simone respira fundo e se senta.

GREG: Bem, a mãe do Rafa, ela foi.../

Continuam conversando. CORTA PARA/

 

CENA 02. EDIFÍCIO PLARES. APARTAMENTO 121. SALA. INT. NOITE.

Jader sentado no sofá, pensativo. Rafael adentra o local.

JADER: (Olhando-o) Rafa!

RAFAEL: (Contido) Oi.

JADER: Aonde é que você tava, meu filho? O quê que aquele cara fez com você?

RAFAEL: Fez nada. Greg já era meu amigo, meu personal, antes disso tudo acontecer, esqueceu?! Eu tava por aí pensando. Precisa desse tempo depois de tudo isso.

JADER: Acho que a gente precisa conversar, não? Ou já tá chamando aquele cara de pai?

RAFAEL: (Riso nervoso) Ah...

JADER: Tá. Eu não devia ter falo isso.

Rafael senta-se no sofá.

RAFAEL: O senhor nunca deixará de ser o meu pai! O homem que me criou, que me deu amor, que se dedicou a mim, que caminhou junto comigo...

JADER: (Emocionado) E nem você de ser meu filho, Rafa! Eu sei que eu também errei, sei que todo esse bolo de coisas erradas, encubadas que foram botadas pra fora hoje deve ter causado uma grande decepção em você, assim como a mim também em relação as atitudes de sua mãe. Mas a gente vai tá junto sempre, continuar lidando juntos com o que aparecer sempre, um podendo contar com o outro.

RAFAEL: Sim. Mas eu quero avisar que o Greg também terá uma parte nisso tudo. Eu dei essa chance a ele. Acho que não podia ser diferente.

JADER: (Desanimado)Eu ainda tenho esperanças que esse exame de DNA possa dá negativo, e que isso tudo tenha sido somente um blefe de sua mãe, e que você seja apenas o MEU filho. (T) Mas tudo bem! Seja como for, eu terei que aprender e me acostumar a lidar com a nova realidade, a presença do Greg....

RAFAEL: Esse exame só vai mesmo servir pra constatar o que já se tem certeza. Minha mãe tinha plena convicção do que ela escondia, tanto que cedeu até a chantagem da Eliete por medo.

JADER: Essa foi outra que me decepcionei demais! Amanhã mesmo abandono aquela agência, peço demissão. A Eliete foi longe demais. Não posso continuar trabalhando lá. Não vou consegui ficar olhando pra cara dela sabendo a quão baixa ela foi.

RAFAEL: Ela não vai deixar. Do jeito que a Eliete é...

JADER: Ela não tem o que fazer, Rafa. Nada me segura lá!

RAFAEL: Mas e aí depois, como vai ser?

JADER: Eu vou abrir meu próprio negócio. Já pensava nisso antes, aqui com meus botões. Mas agora vai ser o momento mais propicio pra começar a botar em prática. E eu vou querer contar com sua ajuda, hein?! (Riso).

RAFAEL: (Riso) Claro! E vai poder contar o quanto quiser.

Eles se dão as mãos, sorriem. Jader o abraça forte. Rafael chora. Jader emocionado. CORTA PARA/

 

CENA 03. EDIFÍCIO LORES. APARTAMENTO 200. SALA. INT. NOITE.

Greg e Simone sentados no sofá.

SIMONE: Então quer dizer que foi tudo obra do acaso, é isso?! Você se envolveu justamente com a mãe do Rafa há 18 anos e é justamente o fruto da relação de vocês que você começa a treinar, que você se torna amigo...

GREG: Exatamente! O destino pregou uma grande peça em nós todos. Eu nunca imaginava que/

SIMONE: (CORTA) O destino que vocês fizeram! (Levantando-se) E ainda por cima, a tal Fabiana, justamente ela, se muda pro mesmo edifício que o nosso e de frente pro nosso apartamento e é aí que vocês se reencontram. (Riso nervoso) Alguém lá em cima deve tá de sacanagem com a gente, só pode ser.

GREG: Você não se entra em nada, Simone. Até porque você não tem culpa de nada! Você sabia que eu tinha ficado com outras mulheres antes de você, soube também desse caso intenso que tive com a Fabiana, mas o filho, nem eu sabia.

SIMONE: Pois é. Eu também fui pega de surpresa.

GREG: Parece que o destino foi fazendo seu percurso direitinho. Tudo que aconteceu conosco, a decisão de voltar pro Brasil, a oportunidade de virar personal da academia de Ueslei, tudo pra eu conhecer uma parte de mim. E eu não vou me separar mais dessa parte! Eu vou continuar tendo minha relação com o Rafa totalmente igual, tentando desenvolver meu lado pai como ele, coisa que eu sei que não vai ser fácil, até porque eu não vou querer tirar o espaço do Jader, mas vou conhecer e botar em prática o Gregório pai.

SIMONE: (Branda) Claro.

GREG: Nós tivemos uma pequena conversa e isso ficou bem claro quando ele me abraçou...

Greg se emociona. Simone senta-se ao seu lado o abraçando.

SIMONE: (Encarando-o) Ei, eu vou tá aqui com você! Eu já gostava do Rafa antes, agora então... Jamais iria deixar algo do seu passado, e ainda por cima sendo algo que você desconhecia, atrapalhar nossa relação. Eu só preciso antes, ter uma conversa com essa Fabiana. Só isso que eu preciso.

GREG: Eu não acho uma boa, Simone.

SIMONE: Mas pra mim será super necessário. Vê, conversar, com a mulher que tem o filho do meu parceiro, com a mulher que é mãe do filho do amor da minha vida. Eu preciso disso e não abro mão!

GREG: Você quem sabe...

Simone beija Greg. Um beijo singelo. Se acariciam. Se abraçam fortemente. CORTA PARA/

 

CENA 04. EDIFÍCIO DALGA. APARTAMENTO 155. QUARTO. INT. NOITE.

Eliete deitada na cama. Olhos bem abertos. Mostra-se pensativa, preocupada. CORTA PARA/

 

CENA 05. EDIFÍCIO LORES. APARTAMENTO 199. SALA. INT. NOITE.

Ouve-se a campainha tocar. Fabiana vem de dentro e abre a porta.

SIMONE: (Olhando-a de cima abaixo) Então você é a Fabiana...

FABIANA: (Curiosa) Você é?

SIMONE: Eu sou Simone Lamonnier. A mulher do Gregório. Bom, esse você deve conhecer bem, né?!

FABIANA: Ah, então você já sabe de tudo...

SIMONE: Ele me contou sim.

FABIANA: Entre.

SIMONE: Com licença!

Simone entra. Fabiana fecha a porta.

SIMONE: É impressionante como a vida é curiosa. Eu cheguei em casa, me deparei com uma situação que jamais imaginava passar. E acho que nem mesmo o Gêl. A gente nunca tinha pensando em ter filho. E agora ele descobre que tem um, e esse um é um que ele já mantinha uma relação de amizade e que já tinha um enorme carinho, isso eu sou testemunha.

FABIANA: (Aproximando-se) Tudo que aconteceu foi no passado. Eu não quero repetir a história porque com certeza o Greg já deve ter te contado tudo. Mas meu proposito inicial não era esconder dele. Na época, quando eu ia contar, eu descobrir que o Greg tinha ido embora do Brasil com uma mulher, que possivelmente deve ter sido você.

SIMONE: Sim. Mas não pense que vim aqui falar do que já passou, te condenar, ou me opor em aceitar alguma decisão do Gêl. Eu vim falar de fatos, e o fato agora é que o Gêl tem esse filho. Muita coisa muda. Só não sei como ficará.

FABIANA: Eu também não sei! O dia hoje não foi fácil. Foi uma explosão de coisas em um único momento. Eu nem tive tempo de conversar com o Rafa depois de tudo. Ele saiu daqui muito abalado e não era pra menos. Eu sou a última nesse momento que pode dizer como tudo vai ficar. Isso só com ele. Mas por mim, também não me oponho a nada. Nem poderia depois de tudo que fiz.

SIMONE: O Rafa tá bem. Gêl me disse que conversou com ele e eu acho que tem tudo pra se acertarem. Claro que a relação dos dois deu uma abalada porque o Rafa tá vendo o Greg de uma maneira diferente. Mas a verdade, a verdade é que com o tempo tudo se acertará. (T) Eu precisava vim aqui te vê. Eu precisava olhar pra mulher que marcou o passado do homem que eu amo.

FABIANA: O Greg era um mulherengo naquela época. Fui só mais uma. Não marquei tanto assim não.

SIMONE: Talvez mais do que pensa!

Fabiana desvia o olhar.

SIMONE: Fabiana, só tem uma coisinha a mais que eu quero saber, então serei bem clara e franca: Ficou algum respingo do que você sentiu pelo Gêl aí dentro de você? Ainda sente alguma coisa por ele?

FABIANA: (Riso nervoso/Senta-se) É claro que não! É logico que eu pensei nele por todos esses anos. Afinal foi dele que tive um filho, foi do nosso envolvimento que saiu o ser humano que eu mais amo nesse mundo. Me sentia mal. O que eu vivi com o Greg foi ao mesmo tempo a melhor e a pior coisa da minha vida! Mas é lógico que eu pensava nele, que me perguntava ‘’Como será que ele deve tá?’’. Era impossível que fosse contrário.

SIMONE: E sentir, você sente ainda?

FABIANA: Sinto! Não sei exatamente o que é, mas sinceramente alguma coisa eu sinto, sim. Só posso te garantir que depois que o revir, eu pelo o menos, tive a certeza de que não é mais como antes. É bem menos. Talvez quase nada. Mas mesmo assim eu ainda não consigo descrever ao certo o que é.

Simone observante, séria.

FABIANA: Eu mudei pra cá depois que me separei do meu marido. Escolhi esse apartamento com a ajuda de uma amiga, e enfim... Nunca imaginei que/

SIMONE: (POR CIMA) Você pode ficar tranquila! Tê-la como vizinha não iriar me incomodar. Eu só queria ter uma noção mais ampla da situação, e isso você já me passou.

FABIANA: (Levantando-se) Não pretendo reviver nada com o Greg, que fique claro. O que passou, passou! Quero sempre caminhar pra frente, e é o que farei a partir de agora e não regredir. Não iria repetir/

SIMONE: (POR CIMA) Claro! Você não seria doida, né?! (Riso).

FABIANA: Era só isso?

SIMONE: Sim! (Indo até a porta) Bom, então tenha uma boa noite!

Fabiana abre a porta. Simone sai.

FABIANA: (Séria) Boa noite!

Fabiana fecha a porta. Apoia-se na parede, pensativa. CORTA PARA/

 

CENA 06. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

Amanhece. Planos gerais de diferentes pontos turísticos da cidade. CORTA PARA/

 

CENA 07, QUITINETE DE DIEGO. INT. DIA.

Ueslei deitado na cama. Ele está acordando. Espreguiça-se. Percebe que Diego não está ao seu lado. Diego vem de dentro com uma bandeja em mãos.

DIEGO: Bom dia, dorminhoco.

UESLEI: (Suspira) Ufa, Diego. Tomei um susto quando não te vi aqui.

DIEGO: (Sentando-se) Fui preparar nosso café da manhã, rapá. Olha aí que capricho tá esse badeja, né não?! (Riso).

UESLEI: (Admirando) Humm. Tá linda mesmo. Vamos vê se tá gostoso.

Diego pega uma panqueca e coloca na boca de Ueslei.

DIEGO: Mastigue e me diga se tá ou não tá boa.

UESLEI: (Saboreando) Hummmmm! Deliciosa! De forno e fogão, hein?!

DIEGO: Sabe que me viro em tudo, mermão. E me saio bem!

UESLEI: HAHA! Convencido! (T) Tava pensando onde a gente poderia ir hoje.

DIEGO: Você não vai pra academia?

UESLEI: Eu não! Não tô com a menor pressa pra voltar pra aquela rotina. Depois de tudo que passei, mereço um pouco mais de sossego pra curtir e curtir com você.

DIEGO: Beleza. Vou pensar aqui em aonde a gente pode ir hoje.

UESLEI: Pense, pense mesmo. Mas antes (Aproximando-se dele) dá pra aproveitar um pouquinho. (Acariciando-o) Você não acha?!

DIEGO: (Sorrindo) Olha, que safado! Se é assim...

Diego agarra Ueslei e os dois caem na cama. Começam a fazer cócegas um no outro. Riem, beijando-se. CORTA PARA/

 

CENA 08. EDIFÍCIO LORES. APARTAMENTO 200. COZINHA. INT. DIA.

Greg e Simone á mesa. Tomam café e conversam.

GREG: Não sei nem se o Rafa vai pra academia hoje.

SIMONE: Depois de tudo, é bem provável que não. Imagina o clima?! Vocês agora vão ficar como se estivessem recomeçando. E de certa forma estará. Porque é uma relação de pai e filho que vocês querem formar.

GREG: Sim. Ele me deu essa chance. E você não sabe como eu quero. Ter o Rafa aqui no apê, tendo aquela relação nossa relação que sempre foi aberta, mas de outra maneira, sabe?! Vai ser ainda mais protetora. Cara, só de pensar ele me chamando de pai...

Greg sorrir.

SIMONE: Isso eu já não sei. Mas minha conversa ontem com a Fabiana foi bem madura. Ela reconheceu os erros dela, me parece que tá disposta a acertar toda essa situação.

GREG: O Rafa tá com muita raiva dela. Pelo que conversei com ele na praia... Pra ele foi um baque muito grande.

SIMONE: Pra todos nós!

GREG: Eu sei. Mas o peso pra ele foi bem maior. Aliás, foi ele a criança que cresceu enganada, que foi iludida, que foi fruto de um erro da mãe. Mas eu vou tá com ele. Isso eu o prometi e vou cumprir!

Greg se levanta.

GREG: (Beijando-a na bochecha) Bom, vou indo.

SIMONE: Bom trabalho, meu amor. Vou terminar o café aqui e ficar acertando algumas coisas aqui porque, segunda, eu já começo no escritório do Dr. Mauro Moraes.

GREG: Boa sorte com sua papelada aí!

SIMONE: Obrigada! Vou precisar! (Riso).

Greg sai do local. Simone continua tomando café. CORTA PARA/

 

CENA 09. FACULDADE SABER BEM. REFETÓRIO. INT. DIA.

Rafael à mesa em companhia de uma jovem (Negra, estatura média, cabelos encaracolados e com 18 anos). Lancham enquanto conversam.

RAFAEL: E eu precisava me abrir com alguém. Parece que se encerrou de certa forma um ciclo da minha vida e começou outro completamente novo, que eu ainda não sei lidar direito, Carla.

CARLA: Mas isso é comum, Rafa. Depois do choque que você passou, da sucessão de descobertas, isso seria mais do que comum. No começo tudo parece meio bambo, mas com o tempo o caminhar se normaliza. Você vai vê!

RAFAEL: (Tocando-a a mão) Poxa, eu nem sei o que dizer, Carla. Você tá sendo sensacional! Sério mesmo, eu ainda tava me sentindo meio que sufocado. Conversei com o Greg, com meu pai Jader, mas essa sensação não passava.

CARLA: E com a sua mãe, você vai falar?

RAFAEL: Eu não quero conversar com ela! De todos, ela foi a maior causadora de tudo. Me prejudicou, fez a maior burrada da vida dela e ainda usa a justificativa de que foi pensando em mim, no meu bem. Me dá raiva, ódio!

CARLA: Você ficar com ódio não vai adiantar muita coisa.

RAFAEL: É o que eu consigo sentir por ela. E nem um pouco de vontade de vê-la de novo, de conversar, de ouvi aquelas desculpas totalmente esfarrapadas. (T) Mas obrigado! Hoje você foi muito mais que uma amiga. Aliás... Quer dizer, deixa pra lá.

CARLA: (Confusa) Não entendi.

RAFAEL: Deixa quieto!

Eles sorriem. Continuam conversando. CORTA PARA/

 

CENA 10. RESORT. PISCINA. INT. DIA.

Local movimentado. Ridinha e Derlano dentro da piscina. Maylon e Mateus sentados em volta apenas com os pés na água.

MAYLON: Vem aqui galera. Vamo tirar uma selfie pra postar no instagram.

DERLANO: Quero tirar foto não.

RIDINHA: (Puxando-o pela mão) Ah, nada disso. Vamos tirar a foto, vamos!

Mateus observa. Ridinha e Derlano se aproximam. Todos fazem uma pose, Ridinha fazendo um biquinho seduzente. Maylon tira a foto. Ridinha e Derlano voltam pro meio da piscina.

MAYLON: (Olhando a foto) Ficou show!

MATEUS: Posta aí e me marca.

MAYLON: Já postei. (Entregando-o o celular) Coloca meu celular ali no bolso da minha calça.

Mateus pega o celular, levanta, vai até a calça de Maylon e guarda. Maylon também se levanta. Ele e Mateus se olham, vão correndo e se jogam na água, cada um dando um salto diferente.

DERLANO: Perto do que eu dou, esses saltos aí são fichinha.

MAYLON: É nada...

DERLANO: Tô te falando...

RIDINHA: (Animada) Ai gente, isso aqui é vida! Se eu pudesse não ia mais embora nunca, ou pelo o menos ficava uns dois meses aqui.

Mateus vai para trás de Ridinha, mergulha e a puxa pela perna fazendo-a mergulhar também. Maylon e Derlano riem. Ridinha e Mateus voltam a superfície. Ridinha começa a jogar água contra eles. Todos revidam. Começa uma divertida guerra. Todos sorrindo. Clima harmônico. CORTA PARA/

 

CENA 11. EDIFÍCIO LORES. APARTAMENTO 199. SALA. INT. DIA.

Fabiana e Branca, sentadas no sofá, conversam.

BRANCA: (Boquiaberta) Então quer dizer que é o Greg quem mora nesse apartamento aqui em frente ao seu?

FABIANA: Exatamente! As coincidências não pararam somente no Rafa ter tido o próprio pai biológico como personal não. Assim que eu cheguei aqui, eu dou de cara com o Greg, e nem deu pra escapar. Estávamos eu e ele frente a frente aí nesse corredor. Não tinha saída! E também eu já tava sufocada de tanta mentira, com raiva de mim mesma por ter cedido a chantagem da Eliete só por ter o rabo preso. E aí ele entrou, conversamos, mas aí o Rafael chegou e quando viu o Greg aqui, já viu... Não teve jeito!

BRANCA: Eu tô chocada, Fabiana. Chocada de como em menos de 24 horas que você saiu lá de casa, tenha acontecido isso tudo.

FABIANA: O dia hoje foi cheio, Branca. Você não imagina. Eu ainda nem tô acreditando que passei por ele, porque parecia que não iria acabar mais. Depois chegou o Jader, e aí o Rafa já foi contando tudo. Depois ainda me aparece aqui a Eliete, acredita?! E aí como o Jader já sabia de tudo mesmo, eu não tinha mais nada a perder, contei da chantagem, contei que ela te usou pra descobrir coisa sobre mim, enfim, falei tudo!

BRANCA: (Levando a mão até a boca) Meu Deus! E eu achando que viria aqui apenas te fazer uma simples visita pra falarmos sobre sua mudança, sobre esse novo apê, sobre sua conversa com o Rafael. (T) Sim, mas e aí depois?

FABIANA: A desgraçada, na maior cara lavada, negou tudo. Fez o maior showzinho aqui na minha frente que me deu nojo! Querendo se sair de vítima, tirando o corpo fora. Mas o Jader também não acreditou nela. Conhecendo ele como eu conheço, acho que depois disso, ele vai sair da agência dela. (T) Ah, foi horrível, Branca.

BRANCA: E o Greg? O que você sentiu quando ficou cara a cara com ele? Reacendeu alguma coisa aí dentro? Como ele tá?

FABIANA: Ele tá conservado, em forma. Mas o engraçado é que apesar de eu ter sentido algo por ele, vê ele, conversar com ele novamente, me fez ter certeza de que passou, de foi algo que ficou lá no passado e não tem mais chance de acontecer de novo. A mulher dele, aliás, teve aqui ontem mesmo. Ele contou tudo pra ela, e ela veio me perguntar coisas, dizendo que queria conhecer a mulher que fez um filho do parceiro dela, que não iria se opor quanto a relação do Rafa com o Greg...

BRANCA: Gente, é tanta coisa que eu não tô conseguindo assimilar tudo de uma vez. E o Rafa, Fabiana? E o Jader?

FABIANA: Ficou revoltado! O Jader quis exame de DNA, aí o Rafa concordou. Só que quando a Eliete chegou aqui, eu descobrir que naquela época o Jader também me traiu. Ele transou com a Eliete lá naquela viagem dos dois no Uruguai. Você acredita nisso?

Reação de Branca.

BRANCA: Meu deus do céu!

FABIANA: Não, e o pior é que eu passei anos me sentindo culpada, me sentindo a pior mulher do mundo por ter sido desleal daquele jeito com o Jader, e ele fez o mesmo com a Eliete. Olha, ele pode ficar com a raiva que ele quiser de mim, pra mim será indiferente. Eu tenho certeza e disse pra ele, que voltar, a gente não volta mais! E se ele não providenciar os papéis do divórcio, eu mesma providencio!

BRANCA: Meu Deus, eu ainda não tô acreditando que o Jader fez uma coisas dessas. Mas e.../

Continuam conversando. CORTA PARA/

 

CENA 12. FAZENDA DE IZAEL. EXT. DIA.

William selando um dos cavalos. Marisa se aproxima.

MARISA: E então, William, já selou o cavalo?

WILLIAM: Acabei de selar.

MARISA: O Izael já foi para o trabalho, aí eu resolvi andar um pouco a cavalo. Porque não selou esse outro também?

WILLIAM: Não sei se eu devo. Ficar passeando de cavalo por aqui, com você...

MARISA: O que tem? Já disse que o Izael já foi pro trabalho. E de qualquer maneira, não teria nada demais. Seria apenas o empregado acompanhando a patroa. (Riso).

WILLIAM: E até quando será somente isso, Marisa?

MARISA: Já não é somente isso há tempos.

WILLIAM: Só que apenas nós dois sabemos disso. (T) Oh Marisa, a minha mãe chegou a comentar alguma coisa com você?

MARISA: Sobre?

WILLIAM: Sei lá. Alguma coisa?

MARISA: (Desvia o olhar) Não, não. Mas agora não é hora de falar disso. Quero relaxar, sentir esse vento gostoso no rosto. (Provocante) Me ajuda a subir no cavalo?

William sorri. Ele pega Marisa pela cintura e a coloca em cima do cavalo. Se aproxima do outro cavalo e começa a selar. Ele monta. Os dois sorriem. Começam a galopar pelas redondezas. Clima harmônico. CORTA PARA/

 

CENA 13. SÍTIO MERTU. COZINHA. INT. DIA.

Luara e Cândida à mesa. Tomam café da manhã e conversam.

CÂNDIDA: Mas e o que você pretende fazer, minha filha?

LUARA: Eu não sei, mãe. Mas depois de tudo que eu passei, das humilhações e das oportunidades que eu perdi por tá nesse meio, nem que a gente tenha que vender esse sítio, mas continuar, eu não vou! (T) De um jeito ou de outro eu te garanto: Sem seus remédios, a senhora não fica!

CÂNDIDA: Oh, minha filha. Mas o quê você vai fazer?

LUARA: Eu não sei, mãe! Eu ainda não sei! Mas não é aqui dentro que eu vou saber. Vou pra cidade e o único jeito vai ser tentar contar com a solidariedade do povo.

CÂNDIDA: (Desanimada) O que não vai ser muito fácil, já que o povo dessa região não vai muito com a sua cara.

LUARA: Pois é. Uns ignorantes! (T) Mas não custa tentar! (Levanta-se) Bom, agora eu já vou indo! Ainda tem um comprimido aí, trate de tomar. (Beija-a na testa) Juízo, hein Dona Maria Cândida?! Tchau!

CÂNDIDA: Pode deixar, minha filha. Vá com Deus!

Luara sai rapidamente. Cândida continua tomando café. Ela sente uma leve dor no peito, leva a mão até o local demostrando-se preocupada. CORTA PARA/

 

CENA 14. ACADEMIA DE BOXE. INT. DIA.

Eros, em pé, guarda seu material na mochila. Hugo sentado.

HUGO: Se prepara que segunda-feira tá chegando. E pelo que eu já fui informado, o Neon Farter vai vim com tudo nessa luta.

EROS: Eu não tenho medo de cão que ladra, mestre! Tô confiante!

HUGO: É, mas esse cão ladra e morde também. E é mordida pesada!

EROS: Tá achando que eu não tenho chances?

HUGO: (Riso) Claro que tem! Se não tivesse, não seria você o escolhido, rapaz! Tava só zuando.

EROS: Ah bom!

Eles riem. Eros coloca sua mochila nas costas.

EROS: Bem, vou indo nessa. Vou passar no lava-jato ainda, antes de ir pra casa. Carro tá sujo pra cacete.

HUGO: Beleza! Amanhã te vejo aqui!

EROS: (Saindo) Falow!

Eros sai do local. Hugo começa a arrumar suas coisas. CORTA PARA/

 

CENA 15. AGÊNCIA DE TURISMO SCAR. SALA DA PRESIDÊNCIA. INT. DIA.

Jader em pé, em frente à mesa de Eliete. Eliete sentada.

ELIETE: Você tá querendo o quê?!

JADER: (Firme) Isso mesmo que você ouviu. Demissão!

ELIETE: (Nervosa/Levanta-se) Você não pode fazer isso, Jader. Nossa união, nossa parceira aqui é de anos.

JADER: Depois de tudo que você fez, Eliete, eu não vou consegui ficar olhando pra essa tua cara.

ELIETE: Eu não fiz nada daquilo. Eu não sou a bruxa dessa história. A Fabiana tá querendo tirar o dela dá reta, tá querendo deixar de ser a única sacana disso tudo. Jader. Acredita em mim! Eu jamais faria isso.

JADER: (Com asco) Que cara de pau, Eliete. Que patético!

ELIETE: Eu soube de tudo, sim, pela Branca, mas não chantageei ninguém, não arquitetei nada disso.

Eliete aproxima-se de Jader.

ELIETE: (Implorando/Desesperada) Por favor, Jader. Acredita em mim e não faz isso. Não faz!

JADER: (Segurando-a pelo braço/Firme) Sua palavra, pra mim, já não tem mais valor algum! Valor nenhum, Eliete!

Jader solta Eliete.

ELIETE: Você ainda vai voltar atrás.

JADER: Não vou. Nunca!

ELIETE: Vai. E sabe por quê?! Pra você ver que minha palavra tem sim, muito valor. E é por ela ter grande valor, que isso vai acontecer, você vai voltar atrás! Espera pra vê. Só espera!

Jader e Eliete se encarando. Os dois firmes. Clima tenso.

FIM DO CAPÍTULO!