14

NOVELAS

CHAMAS DA LIBERDADE

1 TEMPORADA

EM BREVE


A trama se passa no Brasil e em duas fases distintas. A obra gira em torno de Marcelo Brandão, um grande magnata que diz a todas as pessoas que os cristais curam do câncer. Só que esse poderoso homem guarda um passado sombrio,que virá a tona através de seu filho: o vingativo Armando. As máscaras caem, e todos lutam pela liberdade individual de cada um.

João Carvalho
AUTOR

17. DÉCIMO SÉTIMO CAPÍTULO

CENA 1/ MANSÃO DOS BRANDÃO/ DIA/ INT/ SALA DE ESTAR

Armando deitado no sofá lendo um livro. A casa toda permanece em silêncio. A campainha começa a tocar. Ele fecha o livro e vai até a porta, quando vê Joyce, que sai entrando na casa.

JOYCE - Oi Armando... Aqui, você poderia me dizer se a Celinha tá em casa?

ARMANDO - Tá sim, Joyce! Ela tá no escritório resolvendo alguns assuntos para a empresa! Quer que eu vá chamá-la?

JOYCE - Não, muito obrigado... Eu prefiro ir até ela, até porque o assunto que eu tenho a tratar com ela é muito sério, e tem que ser a sós.

ARMANDO - Está bem!

Joyce sai desesperada a direita do local onde estavam. Armando, assustado, deita novamente no sofá, reabrindo seu livro.

CORTA PARA

CENA 2/ MANSÃO DOS BRANDÃO/ DIA/ INT/ ESCRITÓRIO

Celinha sentada em sua cadeira, assinando diversos papéis. Joyce abre a porta sem bater, assustando ela. Joyce se senta a frente de Celinha e fica em silêncio, bem ofegante, por algum tempo.

CELINHA - Ai que susto que você me deu! O que foi?

JOYCE - Não tem jeito, Celinha... Eu preciso fazer algo! O Virgílio está prestes a me largar!

CELINHA - Joyce isso não é novidade pra ninguém... Você acha que o Virgílio não vai acompanhar o crescimento da sua barriga, e pior, vai perceber que tudo não passou de uma farsa!

JOYCE - Eu estou disposta a usar a barriga falsa, depois eu vejo como vai ser! O importante é uma ameaça firme... Eu preciso colocar na cabeça do Virgílio, que ele precisa assumir nosso filho!

CELINHA - Você sabe muito bem que isso vai ser difícil... O Virgílio sempre foi um mulherengo, e nunca largou a Tamara, e não vai ser por você que ele vai fazer isso!

JOYCE - Mas eu tenho certeza que ele me ama, sabe?! Não é possível que ele esteja encantado com aquela velha da minha mãe!

CELINHA - Faz o seguinte! Cria um atentado falso! Deixe ele saber que a família dele corre perigo se ele não assumir esse filho que você supostamente está esperando!

JOYCE - Você tem razão! Agora eu preciso ir... Tenho muita coisa a fazer ainda hoje!

Joyce se retira do cômodo. O celular de Celinha começa a tocar. Ela atende.

CELINHA - (tel.) Alô?! Hugo? O que você quer?

HUGO - (tel./ off) É o papai, Celinha... Ele está muito mal... Os médicos disseram que ele precisa da doação de fígado o mais rápido possível!

Celinha se assusta e deixa escorrer uma lágrima de seus olhos.

CELINHA - (tel.) Está bem, Hugo... Eu estou indo!

CORTA PARA

CENA 3/ MANSÃO DE IOLANDA/ DIA/ INT/ SALA DE ESTAR

Iolanda, vestida apenas com um roupão branco, com uma taça de champanhe nas mãos. O celular toca e ela vai atender.

IOLANDA - (tel.) Alô?! Quem tá falando?

ENFERMEIRA - (tel.) Dona Iolanda? Aqui é da clínica... Aquele paciente que a senhora deixou aqui está melhorando a cada dia!

IOLANDA - (tel.) Como assim? Melhorando?

ENFERMEIRA - (tel.) Sim! Ele já abriu os olhos e chama por um nome!

IOLANDA - (tel.) Que nome?

ENFERMEIRA - Elena! Isso! Elena é o nome que ele chama!

Iolanda desliga o celular e o joga longe.

IOLANDA - (com ódio) Esse desgraçado não morre de jeito nenhum! Mas ele vai me ser útil pra muita coisa... Esse demônio nem com o pé na cova esquece a morte de Elena! Mas se ele pensa que a vida dele vai ser fácil daqui pra frente, ele tá muito, mas muito enganado!

Iolanda com cara de ódio.

CORTA PARA

CENA 4/ APTO DE VIVIANE/ DIA/ INT/ SALA DE ESTAR

Malu e Viviane sentadas no chão assistindo filme com uma bacia de pipoca. Toca a campainha. Viviane se levanta, atende, e dá de cara com Armando.

VIVIANE - Você aqui?

ARMANDO - Eu posso entrar?

VIVIANE - Entra!

Armando e Viviane entram na sala. Malu vai para o quarto.

ARMANDO - Eu posso explicar...

VIVIANE - (corta) Explicar o quê? Explicar que você é um canalha sem coração? Essa sua maldita ambição acaba mudando a sua personalidade, Armando... Eu fiz tudo o que pude pra te fazer feliz, eu lutei como nenhuma mulher lutou pelo seu amado... Gastei o pouco dinheiro que tinha pra te satisfazer, pra te fazer feliz lá na Bahia! Mas o que você fez? Simplesmente jogou fora todo o respeito e todo amor que eu sentia por você... Arruinou a minha vida de uma forma imensa!

ARMANDO - Me perdoa Viviane... Eu tenho certeza que você vai entender quando eu puder te explicar por que fiz tudo isso!

VIVIANE - Ata, e enquanto isso você continua indo pra cama com aquela piranha?

ARMANDO - Tente me entender!

VIVIANE - Está bem, Armando! Agora vá embora! Eu não quero nunca mais ter que olhar na sua cara!

Os dois se encaram.



FIM DO CAPÍTULO

TODOS CAPÍTULOS