14

NOVELAS

CHAMAS DA LIBERDADE

1 TEMPORADA

EM BREVE


A trama se passa no Brasil e em duas fases distintas. A obra gira em torno de Marcelo Brandão, um grande magnata que diz a todas as pessoas que os cristais curam do câncer. Só que esse poderoso homem guarda um passado sombrio,que virá a tona através de seu filho: o vingativo Armando. As máscaras caem, e todos lutam pela liberdade individual de cada um.

João Carvalho
AUTOR

12. DÉCIMO SEGUNDO CAPÍTULO

CENA 1/ FAZENDA/ EXT/ DIA/ FACHADA

Continuação imediata da última cena do capítulo anterior;

Celinha, quicando de raiva, e Marcelo a segue até o portão. Ele fica a observá-la de longe. Ela olha com os olhos lacrimejados para Marcelo.

CELINHA - Se você pensa que vai se livrar de mim, Marcelo, você pode ter certeza que está muito enganado! Antes de tudo, eu ainda sou sua mulher!

MARCELO  - (ri) Isso é o que você pensa Celinha! A única coisa que você ainda é minha é esposa, porque mulher, ah, isso você nunca foi... Sua ladra, piranha, desqualificada... Você é a mulher mais baixa que eu já conheci na minha vida, Celinha! A Iolanda é fixinha perto desse seu mau caráter!

CELINHA - Você vai ver Marcelo... Eu vou me vingar de você, eu vou tirar cada centavo dessa sua intocável fortuna... Só vai sobrar a roupa que você tem no corpo!

Celinha sai raivosa. Marcelo fica um certo tempo olhando a esposa partir em seu carro, e em seguida entra para sua fazenda.

CORTA PARA/

CENA 2/ MANSÃO DOS CORRÊA/ EXT/ DIA/ BEIRA DA PISCINA

Tamara vestida com um maiô preto, deitada em uma cadeira de praia, com óculos escuros e um chapéu. O clima é tranquilo, até que Virgílio pula na piscina e respinga água em Tamara. Assustada, ela tira os óculos e vê que o marido está dentro da piscina. Ele, em seguida, sai da mesma e se senta ao lado da esposa em outra cadeira de praia, vestido apenas com uma sunga. Os dois ficam em silêncio por segundos.

VIRGÍLIO  - Já está aqui há muito tempo?

TAMARA  - Não! Cheguei aqui há pouco tempo, estava resolvendo alguns poucos assuntos para a empresa!

VIRGÍLIO  - E que coisas seriam essas? Eu já lhe disse que não precisa se preocupar com os negócios da nossa empresa... Eles estão em boas mãos! O Falcão é um ótimo administrador, e é pago para resolver as nossas pendências. Não tem cabimento você fazer o serviço de outra pessoa!

TAMARA  - É, mas dessa vez resolvi dispensar o Falcão. Não havia necessidade de ele resolver coisas tão bobas! E pensei comigo, não, meu marido não ficaria bravo comigo, afinal, eu estaria fazendo um trabalho em seu favor, na verdade, um serviço até bem puxado!

VIRGÍLIO  - Tem razão! (se levanta) Eu vou ir até a cozinha buscar uma limonada bem geladinha pra gente...

Virgílio sai andando. Tamara fica a observá-lo.

TAMARA  - Virgílio! É... Você conhece Neide Brandão?

Virgílio se vira para a esposa totalmente assustado. Os dois ficam se encarar. Ela com uma cara irônica.

TAMARA  - Anda... Não vai me responder?

VIRGÍLIO  - Por que essa pergunta? Justamente há essa hora da manhã!

TAMARA  - Eu lhe fiz uma pergunta, Virgílio... Não fuja dela! Você conhece Neide Brandão?

Virgílio encara a esposa/

CORTA PARA

CENA 3/ MANSÃO DE IOLANDA/ EXT/ DIA/ FACHADA

Viviane chega até a mansão de Iolanda. Ela aperta a campainha. Minutos depois, um dos seguranças vai até o portão.

VIVIANE  - Oi tudo bem? Eu estou à procura do senhor Armando Barros... Ele está?

SEGURANÇA     - Qual é o seu nome?

VIVIANE  - Viviane!

SEGURANÇA     - Ah sim... O senhor Armando pediu para lhe avisar que ele foi para Bahia resolver alguns problemas, e assim que estivesse em condições, te ligaria! Eles saíram nessa manhã!

VIVIANE  - Bahia?! Mas eles disseram em que lugar da Bahia especificamente?

SEGURANÇA     - É... Não me lembro agora... Ah sim... Eles foram para Salvador! Isso mesmo, foram pra Salvador!

VIVIANE  - Eu vou atrás do meu amor até no inferno! Obrigado moço!

Viviane sai correndo/

CORTA PARA

CENA 4/ AEROPORTO/ INT/ TARDE

O avião pousa lentamente. Vários passageiros saindo de dentro do avião. Respectivamente, Armando e Iolanda sai do avião.

CORTA PARA

CENA 5/ HOTEL/ INT/ TARDE/ QUARTO

Iolanda entra no quarto do hotel, com um vestido rosa extravagante e óculos escuros. Armando entra logo após com várias malas, suas e de Iolanda. Ela se estica na cama.

IOLANDA - (rindo) Ah meu amor, quem nasceu para o luxo não consegue viver na pobreza!

ARMANDO - Não ligo tanto para o luxo!

IOLANDA - É mais devia ligar, porque é o luxo do seu pai que será a vítima de sua vingança!

ARMANDO - Você tem razão! Eu tava pensando e acho que tenho um plano!

IOLANDA - Que plano seria esse?

ARMANDO - Eu preciso fingir ser o aliado do meu pai, só assim eu vou conseguir o que quero!

IOLANDA - Realmente essa é a solução... Mas você sabe que isso não será nada fácil, né?

ARMANDO - Sei, mas eu preciso tentar realizar esse plano!

IOLANDA - Boa sorte... É o que te desejo!

CORTA PARA

CENA 6/ MANSÃO DOS CORRÊA/ EXT/ DIA/ BEIRA DA PISCINA

Os dois ainda se encarando. Virgílio se aproxima de Tamara.

VIRGÍLIO  - Conhecer eu não conheço, mas já ouvi falar... Me parece o nome da mãe do Brandão, certo?

TAMARA  - Sim... É porque eu vi uma matéria há uns trinta anos atrás, eu vi um jornal falando sobre o assassinato de uma mulher por vândalos, e aí hoje relembrei, e comparei ao fato de que hoje Marcelo é um senador, um empresário famoso, e sua mãe não pode desfrutar de tudo isso!

VIRGÍLIO  - Você tem razão, mas por exemplo, minha mãe também não teve a oportunidade de aproveitar a minha fortuna... Enfim, é a lei da vida meu amor, todos nós vamos morrer um dia, não?! Olha, eu vou ir até a cozinha, e já volto! Vai querer limonada?

TAMARA  - Aceito sim!

Virgílio segue até a cozinha. Tamara fica desconfiada com a declaração do marido/

CORTA PARA

CENA 7/ HOTEL/ INT/ TARDE/ QUARTO DE CELINHA E JOYCE

Joyce sentada em sua cama, olhando sacolas de compras que ela fez. Celinha olhando para o espelho, com raiva.

JOYCE     - Vai ficar se humilhando agora, Celinha? Para com isso amiga, você não merece ficar sofrendo assim!

CELINHA - Eu fui humilhada, Joyce... O Marcelo simplesmente me deu o bote antes mesmo de mim! Ele me enganou, a presidência da empresa foi falsa, tudo foi falso! Eu não vou deixar isso barato!

JOYCE     - Agora a sua briga com Marcelo será na justiça, Celinha... Não será mais como antes, em que você era a dona de tudo, e posso de falar a verdade? É muito melhor você brigar como ex-mulher, do que brigar como mulher... Imagina o lucro que você não pode ter!

CELINHA - Deixa de ser burra, Joyce... Eu tinha, ou pelo menos pensava que tinha, uma liderança em mãos, eu tinha a presidência da empresa, e agora? O que tenho? Só terei uma pensão mixuruca que não vai dar nem pra pagar o salão de beleza! Eu vou ficar na miséria!

JOYCE     - (ri) É verdade, mas enfim, Marcelo não seria tão cruel em te deixar no olho da rua!

CELINHA - Joyce... Eu estava pensando aqui... Você acha que alguém pode estar colocando o Marcelo contra mim?

JOYCE     - Essa pode ser a resposta, mas você só vai saber investigando!

As duas ficam a se encarar/

CORTA PARA/

CENA 8/ STOCK-SHOTS

Sonoplastia – Sunday Bloddy Sunday – U2

01 – Anoitece na Bahia – O luar em Salvador, e o pôr do Sol.

02 – Anoitece no Rio de Janeiro – Imagens alternadas da noite em Copacabana no Rio de Janeiro.

03 – Viviane saindo de dentro do avião no aeroporto – Viviane sai deslumbrante de dentro do avião.

CENA 9/ FAZENDA/ INT/ NOITE/ COZINHA

Marcelo jantando. Os empregados o velam encostados na parede.

Ele começa a relembrar/

CELINHA - Se você pensa que vai se livrar de mim, Marcelo, você pode ter certeza que está muito enganado! Antes de tudo, eu ainda sou sua mulher!

- (ri) Isso é o que você pensa Celinha! A única coisa que você ainda é minha é esposa, porque mulher, ah, isso você nunca foi... Sua ladra, piranha, desqualificada... Você é a mulher mais baixa que eu já conheci na minha vida, Celinha! A Iolanda é fixinha perto desse seu mau caráter!

CELINHA - Você vai ver Marcelo... Eu vou me vingar de você, eu vou tirar cada centavo dessa sua intocável fortuna... Só vai sobrar a roupa que você tem no corpo!

Celinha sai raivosa. Marcelo fica um certo tempo olhando a esposa partir em seu carro, e em seguida entra para sua fazenda.

Cena volta ao normal; Marcelo deixa uma lágrima pingar em seu prato. Ele se levanta e segue para a sala. Anastácia segue o patrão.

ANASTÁCIA      - Precisa de alguma coisa seu Marcelo?

MARCELO  - Não, obrigado Anastácia!

ANASTÁCIA      - Qualquer coisa eu estarei na cozinha!

MARCELO  - Está bem, querida, mas pode ir se deitar... Não precisarei mais de nada!

      ANASTÁCIA      - Com licença!

Anastácia de retira do cômodo. Marcelo começa a chorar.

CORTA PARA/

CENA 10/ HOTEL/ INT/ NOITE/ CORREDOR

Celinha sai desesperada de seu quarto. Ao mesmo tempo, há poucos metros, Armando também sai de seu quarto. Os dois se esbarram.

CELINHA - Olha por onde anda, garoto!

ARMANDO - A culpa aqui não foi minha!

Os dois se encaram com um olhar de ódio/



FIM DO CAPÍTULO

TODOS CAPÍTULOS