18

NOVELAS

ANTES DO FIM

SEM TEMPORADAS

COMPLETO


Com a vida arruinada, por uma desconhecida, Samantha é obrigada a voltar para casa como derrotada, mas o destino lhe confere a chance de dar o troco e sentir o doce sabor da vingança. Conheça a história de Samantha e Laura, duas mulheres diferentes que partilharão a mesma vida.

Tiago Machado
AUTOR

12. DÉCIMO SEGUNDO CAPÍTULO

— Eu vim!

Samantha não podia acreditar que seus olhos estavam vendo. Bem diante Laura cruzou os braços e abriu um largo sorriso.

— Eu vim para me despedir de você.

— Eu imaginei que você estaria cuidando do Bernardo e não se daria ao trabalho de vir aqui.

— Eu vim para me certificar que você vai embora mesmo. Fiz muita coisa para deixar você no meu caminho.

— Tem bilhões de homens no mundo.

— O amor não se escolhe, se sente e se vive. É uma pena tirar você da jogada, mas eu não costumo dividir o que é meu.

Samantha sentiu o ódio aflorar e suas palavras se tornaram firmes.

— Era meu antes de ser seu.

— Era seu. Pelos menos você não é burra.

— Eu já perdi de mais Laura. Não preciso disso.

— Fracassada. Você nem quis lutar.

— Lutar contra o que? Não importa. Não mais.

Laura acena para uma pessoa que as observa de longe.

— Tem uma pessoa que também quer se despedir.

Samantha se vira para ver quem é. Seu coração começa a bater rapidamente ao se dar conta de quem é.

— É o cara de estava lá em casa.

Laura sorri satisfeita.

— É sim. Ele foi o xeque mate.

Samantha olha indignada para Laura.

— Foi você. Você armou aquilo pra mim.

Lorenzo se aproxima e passa o braço em volta da cintura de Laura.

— Você vai perder seu voo.

— Eu não posso ir. O Bernardo tem que saber que eu não fiz nada. Que isso tudo foi coisa sua.

— Tarde de mais minha querida. Ele não vai acreditar. Os homens não são como nós. Eles nunca perdoam uma traição e se você acha que perdeu muito, escolhe ficar. Você vai perder coisas que nem sabe que tem.

— Isso não acaba aqui. Não mesmo.

— Você está voltando para casa com o rabo entre as pernas e ainda quer me ameaçar?

— Eu te vejo em breve Laura. Mais cedo do que você pode imaginar.

Samantha caminha para a sala de embarque, mas antes de entrar ela vira e fala para Laura:

— E eu não vou pegar o que era meu, vou pegar o que é seu. Aproveite enquanto você ainda pode.

Samantha não olhou mais para trás. Nada fazia mais sentido, nada era dela. Tudo que um dia ela pensou ser seu fora esbulhado. Talvez o seu coração tenha petrificado porque durante o caminho ela não derramara uma lágrima. Sua mente funcionava a mil.

Laura entrara em sua vida de uma forma sutil e delicada e aos poucos a prendera numa teia mortal, mas ela estava disposta a acertar as contas. Ainda não era o fim.

Samantha teve sonhos conturbados durante o trajeto. Às doze horas de voo foi sem sombra de duvidas uma gestação. Samantha estava deixando uma mulher na Alemanha e estava voltando outra para o Brasil. Samantha não fazia questão de voltar para o Brasil, sua vida antes de ir para a Alemanha fora limitada e sofrida. Ela não deixara parente algum esperando por ela. A única pessoa que poderia ajuda-la era o Eduardo.

Ao desembarcar Samantha pegou um taxi e buscou em sua mente o endereço de Eduardo, se Deus a ajudasse, ele ainda estaria morado no mesmo endereço. O taxi parou enfrente ao prédio. Muitas coisas haviam mudado. Samantha sentiu uma onda a invadir, a sensação de ter fracassado era horrível. Ela estava de volta e aparentemente nada mudara.

Samantha se dirigiu a portaria e perguntou se o amigo ainda morava lá, para seu alivio o porteiro disse que sim. Ela tocou o interfone, mas não houve resposta. Samantha esperou mais alguns instantes e como o amigo não voltava resolveu ir para um hotel e voltar no outro dia, mas antes de sair viu uma moça entrar no prédio. Ela era familiar, havia algo nos olhos dela que faziam Samantha se lembrar de alguém, mas quem?

A garota tocou o interfone do apartamento do Edu e esperou como não houve resposta ela pegou o celular e ligou. Samantha ficou prestando atenção na conversa e ficou aliviada quando ouviu o nome Eduardo surgir.

— Oi. Desculpa-me não pude deixar de ouvir. Você é amiga do Eduardo?

A garota olhou Samantha de cima a abaixo e respondeu desconfiada.

— Sou sim.

— Eu acabei de chegar de viagem. Cheguei de surpresa, você pode me passar o telefone dele?

— Você é por acaso alguma ex-namorada dele?

— Não. Sou uma amiga que ele não vê há muito tempo.

— Ele está no bar acompanhando a Moara. Eu vou passar em casa antes de ir para lá. Você quer uma carona?

— Eu estou com algumas malas. Algum problema?

— Vamos. Sem problemas.

Samantha entrou no carro e Isabel conduziu.

— Você é namorado do Edu?

— Não, mas não porque eu não queria. Eu gosto muito dele, mas ele é galinha.

— Ele não muda mesmo.

— E de onde vocês se conhecem?

— Estudamos juntos. Eu passei numa universidade fora do país e me mudei. Desde então não falo com ele.

— E o que te trouxe de volta?

— A vida é imprevisível. Eu tive alguns problemas.

Samantha e Isabel foram conversando o caminho todo. Isabel estacionou o carro e convidou Samantha a entrar. Isabel era uma moça de uma família rica, morava numa mansão num bairro nobre de São Paulo. Isabel a convidou a entrar. Samantha ficou esperando na sala enquanto Isabel subiu para o quarto.

— Eu vou me trocar. É rapidinho.

— Tudo bem.

— Você quer comer alguma coisa? Eu peço para prepararem.

— Não obrigada.



FIM DO CAPÍTULO

TODOS CAPÍTULOS