18

NOVELAS

ANTES DO FIM

SEM TEMPORADAS

COMPLETO


Com a vida arruinada, por uma desconhecida, Samantha é obrigada a voltar para casa como derrotada, mas o destino lhe confere a chance de dar o troco e sentir o doce sabor da vingança. Conheça a história de Samantha e Laura, duas mulheres diferentes que partilharão a mesma vida.

Tiago Machado
AUTOR

06. SEXTO CAPÍTULO

Lorenzo deixou um recado para Laura, ele precisava falar com ela e ela prontamente atendeu ao chamado. Laura estava deitada na cama lixando as unhas esperando ele bater na porta. Ele bateu e ela disse que ele poderia entrar.

— Eu estava com saudades de você, Brazilian Girl.

— Acho que nosso último encontro fez de você um homem mais carinhoso.

Lorenzo abriu um largo sorriso e passou os braços em volta da cintura fina de Laura e beijou todo o pescoço até chegar aos seios. Laura sabia que não poderia confiar totalmente nele, Lorenzo é do tipo de homem que ela precisava tê-lo sob controle ou ele faria coisas inimagináveis.

— O que você quer?

Lorenzo olhou surpreso para ela e depois disse com carinho

— Ficar com você.

— Eu sei que é mentira. Pode falar a verdade.

— Eu preciso de dinheiro.

Laura se desvencilhou dos braços dele e sentou na cama com as pernas cruzadas.

— Eu sabia que você queria alguma coisa. E você sabe como conseguir.

Laura sentiu o desejo se avolumar. Ela sentia-se atraída por ele e ao mesmo sentia um medo do que ele poderia fazer, mas o jogo estava nas mãos dela. Enquanto ele precisa-se dela, ele faria tudo o que ela desejava.

— Transa comigo- Disse Laura com o desejo flamejando nos olhos.

Laura conduziu toda a situação. Deitou Lorenzo e mandou-o tirar a roupa em seguida ela fez o mesmo. Ele já estava preparado para ela. Laura sentou sobre ele.

— Laura eu não gosto desse jeito. Eu não consigo gozar.

— Vai ter que ser do meu jeito se você quiser o meu dinheiro.

Laura continuou o movimento até gozar a primeira vez. Quando viu que ela atingira o orgasmo ele disse.

— Eu quero gozar também. Vamos...

— Eu sei que você prefere a bunda durinha de um cara, mas vai ter que se conformar. Eu quero que você me chame de Samantha e diz como eu sou gostosa.

— Que brincadeira é essa?

— Cala a boca e faz o que eu estou mandando. Eu quero gozar outra vez Bernardo.

— Como você é gostosa Samantha!

— Faz direito. Eu quero acreditar que é verdade.

Laura não dispunha de muito tempo. Suas férias estavam perto do fim e antes de voltar para o Brasil ela teria que conquistar Bernardo.

O dia estava frio e o tempo fechado. O táxi a pegara na porta do hotel e estava parado a exatas uma hora e quarenta e cinco minutos. O taxímetro andava sem pressa aumentando gradativamente o valor da corrida. Laura estava esperando Bernardo sair de casa e segui-lo até o trabalho dele. Primeiro ela viu Samantha sair e pegar um táxi, logo foi a vez dele, Bernardo saiu da garagem do prédio e guiou o carro para fora. Laura apontou para o carro e disse para o motorista segui-lo.

O trajeto era curto e logo Bernardo estacionava em frente a faculdade da cidade pra lecionar. O plano era relativamente simples. Laura só precisava fazer parecer que o encontro fora uma mera coincidência do destino e jogar seu charme para cima do professor. Ela pagou pela corrida e desceu do carro andando em direção a Bernardo que já dera alguns passos para dentro do edifício, Laura o alcançou e jogou para ele seu melhor sorriso.

— Bernardo?

—Laura? – Disse ele beijando-lhe o rosto.

— Eu te vi de longe e resolvi dar um oi. Você trabalha por aqui?

— Eu leciono. O que acha de assistir uma aula minha?

— Vou achar formidável.

— A minha aula é em alemão. Talvez você não entenda muita coisa.

— Não faz mal. Mas você vai ter que me prometer uma coisa.

— Desde que não seja ministrar a aula toda em inglês de novo.

— Não eu não posso pedir tanto. Será que podemos almoçar depois?

— Eu acho mais que justo.

A sala estava lotada e Laura escolheu uma carteira na primeira fila para ficar próxima de Bernardo e menos deslocada. Ao entrarem na sala e se acomodarem Bernardo indicou Laura e apresentou. Bernardo falou em alemão e ela só pode reconhecer seu nome e Brasil. Laura observava cada movimento de Bernardo, ele era charmoso e vez ou outra fazia uma piadinha, Laura sabia porque a sala rompia em gargalhadas.

Depois da aula Bernardo levou Laura para almoçar num pequeno bistrô. O lugar era pequeno e aconchegante. Bernardo pediu um vinho.

— Eu fiquei impressionada. Você nasceu para falar com o público. Você é cativante, sabe seduzir sua plateia.

— Obrigado pelos elogios, mas qualquer professor, principalmente universitários deve ser desse jeito. Aqui os alunos são muito exigentes.

Bernardo recostou-se na cadeira e cruzou os braços atrás da cabeça.

— As pessoas que tem você por perto são sortudas. Você é seguro, bonito, inteligente.

— Essa conversa vai girar em torno de mim?

— Quer algo mais interessante que você?

Laura umedeceu os lábios. E antes que eles pudessem continuar o assunto o garçom trouxe o almoço. Laura cortou um pedaço de filé e levou a boca, após alguns segundos ela disse.

— Que delicia Bernardo. Estou cada dia mais encantada com essa cidade. Só faltou um amor pra eu ficar definitivamente por aqui.

— Você é uma mulher linda. Eu tenho certeza que não precisa muito esforço pra conseguir alguém.

Após o almoço garçom voltou e retirou os pratos. O cálice de vinho estava quase cheio quando Laura foi pegá-lo ele entornou e caiu em seu colo. O jeans ficou todo molhado. Uma grande mancha começava na altura da coxa e se estendia por toda a perna. Prontamente Bernardo se levantou e foi ofereceu um guardanapo, mas o estrago já estava feito.

— Como eu sou desastrada.

— Isso acontece. É mais comum do que você possa imaginar. Eu também sou o desastre em pessoa. Eu vou pagar a conta e vou deixar você no seu hotel.

Bernardo chamou o garçom e pagou a conta. Eles foram para o estacionamento e entraram no carro. Laura passou a mão pela calça manchada.

— Eu acho que hoje é meu dia de sorte mesmo. Eu não posso voltar para o hotel. Eles estão limpando o quarto agora. Será que eu posso ir tomar um banho na sua casa?

— Claro. Você pode pegar uma roupa da Samantha.

— Eu dou tanto trabalho pra você. Meu anjo da guarda.

— Desse jeito da próxima você que vai pagar o almoço.



FIM DO CAPÍTULO

TODOS CAPÍTULOS